09:14 24 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    4312
    Nos siga no

    O ministro da Defesa do Reino Unido, Bem Wallace, defendeu o assassinato do major-general iraniano Qassem Soleimani como ato de autodefesa do governo dos Estados Unidos.

    O ministro afirmou que "Soleimani não era amigo do Reino Unido" e instou Teerã a "evitar atuar em represália" pela morte de seu general.

    Bem Wallace considerou que Washington "demonstrou constante contenção" e reiterou que escalar o conflito somente beneficiará grupos terroristas no Oriente Médio.

    "Pedimos a todos que diminuam as tensões", declarou o emissário de Boris Johnson na Câmera dos Comuns.

    O ministro também informou uma série de medidas adotadas pela Defesa britânica para proteger os militares e civis britânicos no Iraque.

    Entre os passos tomados há o envio de especialistas para Bagdá, a evacuação de equipes não essenciais da capital iraquiana, o fim de atividades de treinamento de tropas iraquianas e a revisão das recomendações para viajar ao Oriente Médio.

    Londres solicitou ao governo do Iraque que respeite seu compromisso com as forças aliadas instaladas no país em apoio a programas antiterroristas.

    Mais:

    Irã responderá 'proporcionalmente' contra os EUA pelo assassinato de Soleimani, diz chanceler
    Tumulto na marcha fúnebre do general Soleimani deixa ao menos 50 mortos e quase 200 feridos
    'Não era general': Bolsonaro mostra alinhamento com os EUA ao falar de Soleimani
    Tags:
    Qassem Soleimani, defesa, Parlamento do Reino Unido, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar