12:44 14 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Joseph Muscat, primeiro-ministro de Malta

    Premiê de Malta renuncia após seu chefe de gabinete ser ligado a assassinato de jornalista

    © REUTERS / Yara Nardi
    Europa
    URL curta
    0 11
    Nos siga no

    O primeiro-ministro maltês, Joseph Muscat, disse neste domingo (1º) que renunciará em janeiro após a pressão dos cidadãos pela verdade sobre o atentado a bomba de 2017 que matou uma jornalista.

    Em uma mensagem transmitida pela televisão, Muscat disse que informou o presidente de Malta que deixará o cargo de líder do Partido Trabalhista em 12 de janeiro e que "nos dias seguintes renunciarei como primeiro-ministro".

    Horas antes, milhares de malteses protestaram diante de um tribunal na capital, Valletta, exigindo que ele deixasse o cargo.

    "Como primeiro-ministro, prometi há dois anos que a justiça seria feita no caso do assassinato de Daphne Caruana Galizia", disse Muscat de acordo com a agência de notícias Associated Press. "Hoje estou aqui para dizer que mantenho minha palavra."

    Muscat observo que, além de três pessoas presas logo após o atentado por envolvimento no assassinato, agora existe alguém "acusado de ser a principal pessoa por trás desse assassinato".

    Muscat estava se referindo ao importante empresário maltês Yorgen Fenech, que na noite de sábado foi acusado de suposta cumplicidade no assassinato e de supostamente organizar e financiar o atentado. Fenech diz ser inocente.

    O ex-chefe de gabinete de Muscat, Keith Schembri, foi ligado ao assassinato. Schembri era um dos alvos das reportagens investigativas de Galizia. O chefe de gabinete do premiê renunciou na semana passada e chegou a ser preso, mas foi libertado logo depois. Ele também afirma ser inocente.

    O Partido Trabalhista tem uma maioria confortável no Parlamento e pode conseguir indicar um novo primeiro-ministro sem a necessidade de uma eleição nacional. 

    Mais:

    Mídia: avião líbio sequestrado com 111 pessoas a bordo pousa em Malta
    Restos de navio que levava apóstolo Paulo para Roma são encontrados perto de Malta
    Rússia nega que tentou comprar gás lacrimogêneo em Malta para levar para Venezuela
    Submarino britânico perdido durante 2ª Guerra Mundial é achado na costa de Malta (VÍDEO)
    Tags:
    assassinato, jornalista, Malta, Joseph Muscat
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar