06:57 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Polícia escolta o caminhão onde foram encontrados 39 corpos, Essex, Inglaterra

    'Nem todos gostam dos estrangeiros': ex-policial búlgaro teoriza sobre morte de 39 no Reino Unido

    © REUTERS / Hannah McKay
    Europa
    URL curta
    341
    Nos siga no

    Responsáveis oficiais búlgaros desmentem envolvimento na morte das 39 pessoas e estão tentando investigar o assunto com os britânicos.

    Polícia britânica declarou que encontrou 39 corpos em um caminhão no condado de Essex nesta quarta-feira (23). De acordo com as declarações, ele entrou no Reino Unido no sábado (19) a partir do porto belga de Zeebrugge. O motorista de 25 anos de idade foi detido. As autoridades britânicas consideram que o caminhão seja búlgaro.

    De acordo com investigações realizadas em cooperação com as autoridades belgas, o crime ocorreu entre terça-feira (22) e quarta-feira (23) de manhã. Todas as vítimas eram cidadãos chineses, revelou The Guardian na quinta-feira (24).

    Notícia repugnante de 39 pessoas encontradas mortas em um contêiner em Grays. O tráfico de pessoas é um negócio abominável e perigoso. Esta é uma grande investigação para a Polícia de Essex. Vamos esperar que eles levem estes assasinos à justiça.

    Reação da Bulgária

    O primeiro-ministro búlgaro, Boyko Borisov, expressou suas condolências aos familiares das vítimas encontradas no contêiner refrigerado. Ele negou que a Bulgária tenha responsabilidade pelo incidente, afirmando que o envolvimento do país começa e termina com a compra de um caminhão na Bulgária em 2017.

    "O caminhão não esteve na Bulgária nos últimos dois ou três anos", disse Borisov ao canal bTV, segundo a mídia búlgara.

    Ele também referiu que o país está colaborando com os serviços britânicos na tentativa de resolver o caso.

    Brexit também afeta a questão dos fluxos migratórios, por isso é necessário verificar a versão de assassinato intencional das 39 pessoas cujos corpos foram encontrados em um caminhão no dia anterior, disse o ex-diretor do Serviço Central de Combate ao Crime Organizado na Bulgária, Tihomir Stoychev.

    "É necessário verificar a versão de homicídio intencional destas pessoas. Nem todos gostam dos estrangeiros que se estabelecem nos seus países. Em alguns lugares, eles estão sendo baleados", disse Stoychev no bTV.

    Ele comentou que a Bulgária é um ímã para os traficantes de seres humanos por causa da falta de eficácia institucional na segurança do país e sua localização geográfica.

    "É provável que continuemos a ser um centro", disse Stoychev, acrescentando que o tráfico humano hoje traz muito mais dinheiro do que o tráfico de armas.

    Mykola Radulov, um perito no domínio da segurança nacional e internacional, refutou o ponto de vista sobre a morte intencional das pessoas.

    "Eu acho que a versão que o Dr. Stoychev compartilhou conosco é difícil de aceitar pela simples razão de que é um negócio, e ninguém quer que este negócio termine por causa de um mau fornecedor. Esta é uma má reputação para o tráfico. Ele não deixaria que isso acontecesse, é muito dinheiro", disse Radulov.

    Radulov também expressou a opinião de que o crime organizado búlgaro poderia fornecer apoio logístico para o transporte das pessoas falecidas.

    Mais:

    Departamento de Homicídios vai ouvir 2 PMs em investigação sobre morte de menina de 8 anos
    Prefeito de Fortaleza promete investigação rígida sobre desabamento
    Criança de 4 anos morre e número de mortos em protestos no Chile aumenta para 18
    Tags:
    Bulgária, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar