19:00 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Adolf Hitler, líder da Alemanha nazista, se endereçando a grupos de jovens fascistas em Nuremberg, em 11 de setembro de 1937

    Alemanha aloca € 6 milhões para projetos de educação sobre história do nazismo

    © AP Photo
    Europa
    URL curta
    884
    Nos siga no

    O governo alemão pretende alocar 6 milhões de euros (R$ 27,3 milhões) para projetos de educação geridos por 28 centros de memória e arquivo de vítimas do nazismo.

    "Os projetos foram escolhidos devido à abordagem inovativa e simulada. Dessa forma, os jovens podem aprender melhor a história do Nacional Socialismo e entender o link entre história, dias atuais e seu próprio mundo", afirmou a ministra alemã de Cultura e Mídia, Monika Gruetters, nesta quinta-feira. 

    ​A iniciativa faz parte de um programa estatal voltado para o apoio ao ensino de história. De acordo com a ministra, o governo também estaria considerando financiar projetos dedicados à história da Alemanha Oriental e do Partido Socialista Unificado da Alemanha, que governou o extinto país entre 1949 e 1990.

    Liderado por Adolf Hitler, o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (NSDAP), de extrema-direita, governou a Alemanha de 1933 até 1945. Durante esse período, seus membros e seguidores promoveram uma onda de terror generalizado dentro e fora do país, dando início à Segunda Guerra Mundial e cometendo inúmeras atrocidades, incluindo o genocídio organizado de judeus, comunistas, ciganos, homossexuais, deficientes e outros grupos perseguidos pelos nazistas.

    Mais:

    Ministro do Exterior alemão declara Alemanha culpada dos crimes do nazismo
    Revelada carta de Einstein que previu perigo da ascensão do nazismo na Alemanha
    Assembleia Geral da ONU aprova resolução contra glorificação do nazismo
    Marinheiro dos EUA admite ter postado imagens pró-nazismo e é dispensado pelas Forças Armadas
    Tags:
    educação, História, NSDAP, extrema-direita, judeus, holocausto, nazismo, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar