01:27 19 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Ditador nazista alemão Adolf Hitler, 1938

    Caçada a Adolf Hitler: como tentaram aniquilar o Fuhrer

    © AFP 2019 / AFP FILES
    Sociedade
    URL curta
    1191

    Há exatamente 75 anos, em 20 de julho de 1944, conspiradores da resistência alemã tentaram eliminar o mais temido líder nazista – Adolf Hitler.

    O golpe de Estado armado antinazista foi planejado em 1938, quando os conspiradores queriam abandonar a política externa agressiva e evitar uma guerra, para a qual acreditavam que a Alemanha não estava preparada.

    Tentativa fracassada

    Em agosto de 1943, o tenente-coronel Claus von Stauffenberg juntou-se aos conspiradores. Um ano depois, ele foi nomeado chefe do Estado-Maior do Exército da reserva e pôde participar de reuniões na sede de Hitler, chamada Wolfsschanze, e na residência-refúgio do Fuhrer de Berghof.

    Em 20 de julho de 1944, na sede em questão, Stauffenberg chegou com uma bomba em sua pasta, ativou o detonador, colocou a pasta sob a mesa a alguns metros de onde Hitler deveria ficar e se retirou do local.

    O Fuhrer foi salvo por acaso por que um dos presentes moveu a pasta. A explosão matou quatro oficiais, Hitler recebeu numerosos ferimentos de estilhaços, queimaduras nas pernas e lesões nos tímpanos, além de ter ficado com o braço direito temporariamente paralisado.

    Após a tentativa fracassada de assassinato, os rebeldes foram caçados e praticamente todos os participantes da conspiração foram identificados e executados.

    Marechal W. Keitel, coronel-general Walther von Brauchitsch, líder nazista Adolf Hitler e coronel-general F. Galder perto da mesa com um mapa durante a reunião do Estado-Maior General em 1940
    © Sputnik / RIA Novosti
    Marechal W. Keitel, coronel-general Walther von Brauchitsch, líder nazista Adolf Hitler e coronel-general F. Galder perto da mesa com um mapa durante a reunião do Estado-Maior General em 1940

    Na Alemanha moderna, o dia 20 de julho é considerado o dia de luto pelos participantes da resistência anti-Hitler que foram mortos.

    Explosão na cervejaria

    Depois que os nazistas chegaram ao poder, o antifascista alemão Johann Georg Elser, que chegou à Munique em agosto de 1939, concluiu que eles iriam arrastar a Alemanha para uma grande guerra e estabeleceu como objetivo matar Hitler.

    O alemão opositor ao nazismo passou várias semanas estudando cuidadosamente os lugares que o Fuhrer frequentava e escolheu a cervejaria Burgerbraukeller, onde Hitler fazia discursos regularmente, para a tentativa de assassinato.

    Na noite para 8 de novembro de 1939, cerca de 2.000 pessoas se reuniram na cervejaria, onde Elser havia instalado uma bomba. Hitler, que normalmente fazia um discurso de uma hora e meia a duas horas, desta vez só demorou uma hora e saiu do salão sete minutos antes da detonação da bomba, que matou oito pessoas e feriu 63.

    Elser foi preso na mesma noite na fronteira com a Suíça, levado primeiro para o campo de concentração de Sachsenhausen e depois transferido para Dachau. Em 9 de abril de 1945, ele foi fuzilado.

    Plano de assassinato

    A inteligência estrangeira também tinha planos para eliminar Hitler. Em particular, a Executiva de Operações Especiais (SOE, na sigla em inglês) do Reino Unido desenvolveu a Operação Foxley em 1944.

    Uma das opções era detonar o trem do Fuhrer, pois os serviços de inteligência britânicos tinham uma rica experiência de sabotagens em ferrovias. Outra ideia era envenenar o sistema de abastecimento de água potável de Hitler com um veneno mortal sem sabor, mas o plano foi descartado por ser difícil de implementar.

    Adolf Hitler, líder da Alemanha nazista, se endereçando a grupos de jovens fascistas em Nuremberg, 11 de setembro de 1937
    Adolf Hitler, líder da Alemanha nazista, se endereçando a grupos de jovens fascistas em Nuremberg, 11 de setembro de 1937

    Finalmente, decidiram confiar a eliminação do Chanceler do Reich a um atirador furtivo. Um alemão que havia servido anteriormente na segurança pessoal de Hitler e que tinha sido capturado pelos britânicos na Normandia informou aos serviços secretos que o Fuhrer, quando ficava na residência de Berghof, gostava de caminhar sem proteção ao longo da floresta pela manhã. Vários operacionais, vestidos com uniformes alemães e fluentes em alemão, deviam saltar com paraquedas nas proximidades da residência, avançar secretamente até ao alcance efetivo do alvo e atirar em Hitler durante seu passeio matinal.

    O plano foi apresentado para aprovação final em novembro de 1944, mas o coronel Ronald Thornley, chefe-adjunto do departamento alemão da SOE, insistiu na sua anulação por várias razões.

    Em primeiro lugar, Hitler não era considerado um bom estrategista e sua morte não seria viável do ponto de vista militar. Em segundo lugar, o assassinato poderia transformar Hitler em mártir e elevar o moral do exército alemão. Além disso, a derrota da Alemanha na guerra naquela época era apenas uma questão de tempo.

    Mais:

    FOTOS raras de Hitler da década de 1920 são reveladas
    Novas revelações sobre Hitler: líder nazista não queria ver extermínio dos judeus
    'Nota de suicídio' de Hitler, em que ele recusa deixar Berlim, será leiloada
    Tags:
    Alemanha, tentativa de assassinato, nazismo, Fuhrer, Adolf Hitler
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar