23:26 18 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Cartaz em prol de Juan Assange ao lado da embaixada equatoriana, 11 de abril de 2019

    Julian Assange perde asilo político e é preso no Reino Unido

    © AP Photo / Matt Dunham
    Europa
    URL curta
    16631
    Nos siga no

    O Equador resolveu suspender asilo diplomático do ativista Julian Assange, fundador do WikiLeaks, segundo comunicado do presidente equatoriano Lenín Moreno, divulgado hoje (11).

    Na terça-feira passada (2), Moreno disse que Assange violou "várias vezes" o acordo de convivência para garantir permanência dele na embaixada equatoriana. 

    "Hoje [11], anuncio que a conduta desrespeitosa e agressiva do senhor Julian Assange, as declarações descorteses e ameaçadoras de sua organização aliada contra o Equador, e, sobretudo, a transgressão dos tratados internacionais têm levado a situação a um ponto em que o asilo do senhor Assange é insustentável e inviável", declarou o presidente equatoriano, Lenín Moreno.

    "O Equador, soberanamente, dá por finalizado o asilo diplomático outorgado ao senhor Assange em 2012", afirmou.

    Recentemente, foi divulgado o VÍDEO da detenção de Assange.

    De acordo com publicação do WikiLeaks no Twitter, Assange não saiu da embaixada do Equador, mas o próprio embaixador convidou a polícia britânica para dentro do prédio, prendendo Assange imediatamente. 

    O secretário de Interior britânico, Sajid Javid, assegurou que o jornalista de origem australiana irá enfrentar a justiça no Reino Unido. 

    De acordo com o ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Jeremy Hunt, agradeceu a Lenín Moreno por suspender o asilo diplomático de Assange. 

    "Julian Assange não é um herói, ninguém é acima da lei. Ele está se escondendo da verdade há anos. Obrigado ao Equador e ao presidente Lenín Moreno pela colaboração com o MRE britânico para assegurar que Assange lide com justiça", escreveu Hunt no Twitter.

    O ex-presidente equatoriano, Rafael Correa, chamou Lenín Moreno de maior traidor da história de toda a América Latina.

    "O maior traidor da história equatoriana e latino-americana, Lenín Moreno, permitiu que a polícia britânica entrasse na nossa embaixada em Londres para prender Assange. Moreno é um corrupto, e o que ele fez é um crime que a humanidade jamais se esquecerá."

    O ex-agente da Agência de Segurança Nacional dos EUA, Edward Snowden, comentou a prisão de Assange.

    "Dia obscuro para a liberdade de imprensa", disse.

    Nesta quarta-feira (10), o WikiLeaks denunciou que Assange estava sendo espionado pelo governo de Moreno dentro da embaixada para extraditá-lo.

    O fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, ficou famoso por publicar assuntos polêmicos sobre, por exemplo, operações militares dos EUA no Afeganistão e no Iraque, bem como sobre as condições na prisão de Guantánamo. 

    Em 2010, o fundador do portal, que é de interesse das autoridades americanas, viajou para a Suécia em busca de proteção, porém, acabou sendo acusado de estuprar duas mulheres, mas acusação veio a ser arquivada pela Suécia, que revogou mandato de captura. 

    Desde 2012, o fundador do WikiLeaks estava vivendo na embaixada do Equador em Londres.

    Mais:

    Wikileaks publica vídeo de soldados britânicos treinando tiro ao alvo com imagem de Corbyn
    Presidente equatoriano pressiona Assange para deixar a embaixada do país em Londres
    Programador da CIA preso por vazamentos à Wikileaks diz ter sido submetido a 'tortura'
    Tags:
    embaixada, asilo, prisão, WikiLeaks, Lenín Moreno, Julian Assange, Reino Unido, Equador
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar