05:45 24 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Dutos para o projeto Nord Stream 2

    CEO de estatal austríaca de energia: Nord Stream 2 não dividirá a Europa

    © Sputnik/ Sergey Guneev
    Europa
    URL curta
    7261
    Nos siga no

    O CEO da empresa austríaca de energia estatal OMV, Rainer Seele, disse em uma entrevista à Neue Zürcher Zeitung que a Rússia se mostrou uma parceira confiável em termos de fornecimento de gás mesmo nos anos mais difíceis, fato evidenciado pela consolidação de contratos com Moscou com compromissos até 2040.

    Seele acrescentou que possíveis novos fornecedores para a UE precisam manter os mesmos padrões.

    "Nós, como europeus, estamos bem aconselhados a assinar contratos para o fornecimento de gás natural de outras regiões do mundo. No entanto, esses fornecedores devem ser tão confiáveis ​​quanto a Rússia em termos de fornecimento de gás nos últimos 50 anos", disse ele.

    Comentando as perspectivas entrada de gás natural liquefeito (GNL) no mercado da UE, especialmente vindo dos EUA, Seele observou que o produto americano não aumentaria a competitividade do mercado europeu. O chefe da OMV explicou que a alternativa oferecida pelos americanos é muito cara e aumentaria os custos para as empresas industriais da UE, tornando-as menos competitivas em relação aos seus rivais dos EUA.

    Seele também negou que o projeto Nord Stream 2 pudesse dividir a UE, apontando que é questões continentais mais urgentes poderiam causar este problema de forma mais efetiva.

    "A Rússia não pode dividir a Europa. Não há razão para dizer isso. A UE só pode ser dividida se não resolver suas questões internas. Nós, europeus, devemos nos concentrar e buscar a união. O Brexit que se aproxima pode trazer muito mais [divisão] para a UE", disse ele.

    O Nord Stream 2 é uma joint venture entre a gigante de gás russa Gazprom e cinco empresas europeias. O objetivo é fornecer 55 bilhões de metros cúbicos de gás natural russo para a União Europeia anualmente. O projeto foi bem recebido por alguns países da Europa, mas críticos levantaram preocupações sobre o suposto perigo da dependência europeia do fornecimento de energia da Rússia.

    Anteriormente, a França apoiou emendas à Diretiva de Gás que permitiriam à Comissão Europeia obter influência sobre o empreendimento de dutos russo-europeus. No entanto, Paris e Berlim, que apoiam fortemente o Nord Stream 2, chegaram mais tarde a um acordo de compromisso que permite que dá à Alemanha a função de país negociador com a Rússia no projeto do gasoduto.

    Tags:
    Nord Stream 2, GNL, Brexit, Comissão Europeia, Gazprom, União Europeia, Neue Zürcher Zeitung, Rainer Seele, Berlim, Paris, França, Alemanha, Rússia, Estados Unidos, Europa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar