07:19 16 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Uma suástica riscada

    Líder de grupo judaico se afasta após ter passado nazista revelado na Alemanha

    © AP Photo / Markus Schreiber
    Europa
    URL curta
    444

    Um importante líder judeu de uma comunidade do norte da Alemanha se afastou em meio a alegações de que ele pode ter mentido sobre sua herança - e pode não ser realmente judeu.

    Wolfgang Seibert, líder da Associação de Comunidades Judaicas (JCA) em Schleswig-Holstein, renunciou "com efeito imediato, para evitar mais danos", segundo o grupo religioso.

    Seibert, de 71 anos, é líder desde 2003 da comunidade judaica da cidade alemã que fica perto de Hamburgo. Sua renúncia segue uma reportagem recente da revista alemã Der Spiegel, que citou documentos que questionavam a herança judaica de Seibert.

    Ele se identifica publicamente como um judeu reformista. No entanto, documentos familiares revelaram que nem ele, seus pais nem seus avós eram judeus. Os informes mostram agora que Seibert nasceu de pais cristãos protestantes em Frankfurt e foi batizado na fé cristã quando tinha 3 dias de idade.

    A Der Spiegel também alega que o líder religioso nunca se converteu ao judaísmo, e apelidou-o de "golpista", acrescentando que ele tem antecedentes criminais por várias instâncias de fraude e peculato.

    A publicação semanal alemã também apontou para alegações de que os avós de Siebert sobreviveram ao campo de concentração de Auschwitz — relatando que seu avô e pai paternos realmente lutaram pelo regime nazista na Segunda Guerra Mundial.

    A reportagem também reagiu às alegações de Siebert de que sua avó, Anna Katharina Schmidt, sobreviveu ao notório campo de concentração, relatando que a avó de Seibert era na verdade a filha de um protestante.

    Em um comunicado divulgado na última sexta-feira, o advogado de Seibert disse que seu cliente havia "exagerado" algumas de suas contas pessoais, informou a agência Associated Press. 

    Ele também declarou que Seibert pediu desculpas à comunidade por causar qualquer insulto por seus "exageros". Seu advogado acrescentou que Seibert está "comprometido com os princípios da fé judaica" e espera reconquistar a confiança da comunidade.

    Mais:

    EUA deportam homem acusado de ser guarda em campo de concentração nazista
    Policiais são suspensos na Alemanha após saudação nazista
    Soldados flagrados em FOTO com suástica nazista causam revolta na Austrália
    Tags:
    Segunda Guerra Mundial, nazistas, nazismo, judaísmo, Associação de Comunidades Judaicas (JCA), Der Spiegel, Anna Katharina Schmidt, Wolfgang Seibert, Auschwitz, Hamburgo, Schleswig-Holstein, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik