07:54 20 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Angela Merkel e Vladimir Putin se reúnem em Sochi, na Rússia, 18 de maio de 2018

    Mídia: Trump aproxima Rússia e Alemanha

    © Sputnik / Sergey Guneev
    Europa
    URL curta
    4171

    Nas relações entre Moscou e Berlim surgiu um caminho de reaproximação por causa das ações do presidente norte-americano Donald Trump, reporta o jornal alemão Handelsblatt.

    O presidente russo Vladimir Putin e a chanceler alemã Angela Merkel, apesar das divergências, estão tentando encontrar uma base comum em questões importantes da política mundial, segundo a publicação, lembrando sobre a próxima visita do líder russo à Alemanha.

    Juergen Hardt, representante da União Democrata Cristã da Alemanha, disse ao Handelsblatt que existe uma chance real de se chegar a um consenso no âmbito das relações bilaterais. A mesma opinião, afirma o jornal, é seguida por Stefan Meister, especialista em assuntos da Rússia da Sociedade Alemã de Política Externa, que ressalta que, com a pressão crescente exercida sobre Putin e Merkel, ambos entendem a necessidade de resolver os problemas que surgiram anteriormente.

    Segundo o jornal, o presidente russo e a chanceler alemã desenvolveram um relacionamento longo e caloroso. Merkel, apesar de não concordar com Putin em todos os aspectos, não permite que as relações entre os dois países sejam interrompidas e tenta considerar alguns compromissos. A publicação destaca que por muito tempo a busca por esses compromissos parecia ser pouco promissora, no entanto, atualmente a situação mudou devido à política imprevisível dos EUA.

    O autor do artigo ressalta que as expectativas do Kremlin relacionadas à eleição do presidente dos EUA, Donald Trump, não se materializaram e, apesar das avaliações elogiosas que Trump constantemente confere a Putin, não foi possível estabelecer uma relação entre a Rússia e os EUA.

    Conforme apontado pela publicação, a razão para isso é a atitude negativa em relação à Rússia por parte da elite política norte-americana, principalmente do Congresso, assim como da administração do presidente dos EUA, que Trump, com toda a sua simpatia por Putin, não consegue nivelar. Esse comportamento dos Estados Unidos leva a uma aproximação natural entre a Rússia e a Alemanha, em particular na disputa entre a UE e os EUA sobre o acordo nuclear com o Irã. A decisão de Donald Trump de se retirar unilateralmente do acordo e as constantes ameaças de sanções são irritantes para Moscou e Berlim.

    Como resultado, a publicação conclui que é improvável que as negociações em Berlim levem a um avanço substancial nas relações bilaterais, mas elas podem se tornar o primeiro passo há muito tempo esperado na normalização da situação no mundo.

    O encontro de Putin com Merkel será realizado no sábado (18) em Berlim. Previamente, o porta-voz do presidente, Dmitry Peskov, informou que os líderes dos dois países vão "checar os relógios" sobre a situação na Ucrânia e Síria e discutir a pressão econômica dos EUA.

    Mais:

    Ministro russo recorda à Alemanha a que leva 'dialogar com Rússia de posição de força'
    Trump: Alemanha é 'completamente' controlada pelo gás russo
    Congressista dos EUA: Investigação sobre a Rússia 'não é preocupação de americanos comuns'
    Tags:
    aproximação, política externa, relações bilaterais, sanções, Kremlin, Congresso dos EUA, União Europeia, Donald Trump, Angela Merkel, Vladimir Putin, Berlim, Alemanha, Moscou, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik