12:24 22 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Mar de Azov

    É uma loucura: analista sobre proposta do vice-almirante ucraniano de minar mar de Azov

    © AP Photo / Vadim Ghirda
    Europa
    URL curta
    686

    O ex-comandante da Marinha da Ucrânia e vice-almirante Sergei Gaiduk propôs minar o mar de Azov. O cientista politico russo Vladimir Olenchenko comentou essa proposta.

    Anteriormente, Gaiduk declarou a necessidade de colocar barreiras explosivas e não explosivas no mar de Azov que permitirão ao país, segundo ele, evitar perdas devido à atividade dos navios militares russos, bem como proteger a Ucrânia de um potencial desembarque de tropas russas. Além disso, para o ex-comandante, a Marinha ucraniana deve efetuar manobras militares no litoral ucraniano do mar de Azov para treinar a resistência a um possível desembarque de tropas russas.

    Em entrevista concedida ao serviço russo da Rádio Sputnik, o cientista político Vladimir Olenchenko chamou a ideia do vice-almirante da Ucrânia de “louca”.

    "Ao minar o mar de Azov, a Ucrânia se isolaria e criaria dificuldades para o seu próprio comércio e para sua autossuficiência. Acredito que é uma tentativa de atrair a atenção e de agravar mais uma vez as relações com a Rússia", explicou o analista.

    Para Olenchenko, essa declaração de Gaiduk só pode ser descrita com o termo "loucura". Entretanto, ele sublinha que apesar da posição antirrussa do governo ucraniano, essa ideia não seria adotada e não teria aplicação prática.

    Periodicamente, as autoridades e miliares ucranianos declaram que a Rússia planeja "atacar" o país. Por exemplo, no ano passado, o general Igor Romanenko assegurou que, em breve, as tropas russas empregariam contra a Ucrânia submarinos e mísseis de cruzeiro. Moscou desmente todas essas acusações, destacando que a Rússia não está envolvida no conflito interno ucraniano e está interessada em que a Ucrânia ultrapasse a crise política e econômica.  

    Mais:

    Crimeia adverte Kiev das consequências de exercícios militares perto de sua fronteira
    Kiev vê na construção do gasoduto Nord Stream 2 'ameaça à civilização europeia'
    Tags:
    relações bilaterais, Mar de Azov, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar