02:59 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Espião trabalhando

    Ex-funcionário da inteligência portuguesa é condenado a prisão por espionar para Rússia

    © Fotolia / Serkat Photography
    Europa
    URL curta
    984

    Ex-funcionário do Serviço de Informações e Segurança de Portugal (SIS), Frederico Carvalhão Gil, foi condenado por espionagem e corrupção passiva pelo Tribunal Criminal de Lisboa.

    A justiça considerou que a atuação de Frederico Carvalhão Gil colocou em risco a segurança nacional e condenou o ex-espião a sete anos e quatro meses de prisão. O Tribunal Criminal de Lisboa considerou como provadas as acusações de espionagem, violação de segredo de Estado e corrupção ativa e passiva.

    O ex-funcionário do SIS vai permanecer em prisão domiciliar com pulseira eletrônica até que a decisão transite em julgado. 

    A defesa de Carvalhão Gil já anunciou que pretende recorrer da decisão no Tribunal da Relação de Lisboa.

    Frederico Carvalhão Gil teria vendido segredos da OTAN e dos serviços secretos de Portugal para a Inteligência russa. Segundo a acusação, o espião foi recrutado pelo Serviço de Inteligência Estrangeiro russo (SVR). Segundo a imprensa cada remessa de informações custou quase dez mil euros (R$ 40 mil).

    Em junho de 2016, Frederico Carvalhão Gil foi detido em Roma. O espião português, que trabalhava há mais de 20 anos no SIS, foi apanhado enquanto estava tentando vender documentos classificados de "muito secretos" e relacionados à segurança da OTAN.

    Mais:

    Espião português é julgado por ter entregado documentos secretos à Rússia
    Autoridades portuguesas aguardam por espião Frederico Carvalhão Gil
    Embaixada da Rússia não comenta detenção de espião em Roma
    Tags:
    corrupção passiva, espionagem, Serviço de Inteligência Estrangeiro da Rússia (SVR), Serviço de Informações e Segurança (SIS), Frederico Carvalhão Gil, Rússia, Portugal, Lisboa
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik