16:06 20 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Os aviões ameicanos F/A-18E e F/A-18F Super Hornets sobrevoam o porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth durante as manobras Saxon Warrior no Atlântico, em 5 de agosot de 2017

    Fotógrafo amador consegue fazer aterrissar drone no maior navio da Marinha britânica

    © REUTERS/ U.S. Navy/Capt. Jim McCall
    Europa
    URL curta
    276216141

    O Ministério da Defesa britânico está examinando a observação das medidas de segurança após receber relatos de que um fotógrafo amador tinha conseguido fazer aterrissar um multicóptero a bordo do porta-aviões Queen Elizabeth passando despercebido, comunica uma emissora britânica.

    O incidente deu-se em julho, quando o navio estava estacionado no porto da cidade escocesa de Invergordon. Um dos membros do clube local de fotógrafos amadores dirigiu seu drone DJI Phantom na direção do porta-aviões britânico para tirar várias fotos, mas, devido ao vento forte, foi obrigado a fazer seu aparelho aterrissar a bordo no navio, precisa a BBC.

    "Falando a verdade, eu não queria fazê-lo aterrissar, mas o vento estava tão forte que me pareceu que ele já não poderia voltar, por isso ignorei o aviso", confessou o fotógrafo.

    De acordo com a edição Daily Mail, o homem, que desejou preservar o anonimato, assegurou que "ninguém tentou impedir a aterrissagem [do drone]".

    Tendo toda a consciência de que tinha violado as regras, o fotógrafo se dirigiu ao porto para relatar o incidente aos militares ou ao capitão do navio. Porém, ele só teve a oportunidade de falar com os policiais armados, que lhe comunicaram que "não havia ninguém a bordo do porta-aviões, já que todos estavam almoçando em terra".

    Segundo afirmou um representante do Ministério da Defesa britânico, a polícia escocesa está a par do incidente ocorrido.

    "Levamos muito a sério a proteção [do porta-aviões] HMS Queen Elizabeth. Informamos a polícia escocesa sobre o incidente, está sendo realizada uma investigação. Nesse contexto, reforçamos as nossas medidas de segurança", disse.

    O navio Queen Elizabeth, com um deslocamento de 65 mil toneladas e 280 metros de comprimento, é o primeiro da sua classe. Espera-se que logo ele seja acompanhado pelo novo porta-aviões Prince of Wales, cuja construção está na sua fase final nos estaleiros da região de Fife.

    Mais:

    Reino Unido quer que empresas virtuais aumentem monitoramento em busca de terroristas
    Grupos de ataque dos EUA e Reino Unido realizam exercícios navais no Atlântico
    De olho no arsenal russo, Reino Unido quer regular uso de armas hipersônicas em guerra
    Tags:
    drone, porta-aviões, Marinha Real, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik