17:46 22 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, durante a cúpula da OTAN em Varsóvia

    Segredo das 'vitórias' do presidente ucraniano na política mundial é revelado

    © REUTERS/ Kacper Pempel
    Europa
    URL curta
    576852

    Uma edição ucraniana descobriu uma desconformidade entre as informações do serviço de imprensa do presidente ucraniano Pyotr Poroshenko e os serviços ocidentais sobre os mesmos eventos.

    Segundo o jornal Evropeiskaya Pravda, foram publicadas informações diferentes sobre um recente encontro de Poroshenko com embaixadores da União Europeia. Kiev afirmou que tinham falado das "ações destrutivas da Rússia", enquanto a UE disse que a corrupção esteve no foco da atenção.

    Este não é o único exemplo. O artigo destaca que tais manipulações têm os ucranianos como público-alvo; o objetivo delas é de mostrar a política externa em uma luz favorável.

    Tendo se encontrado com o vice-presidente norte-americano Mike Pence em fevereiro de 2017, Poroshenko anunciou que o país passou a fazer parte na lista das prioridades dos EUA. Entretanto, a Casa Branca nada disse sobre as prioridades, ao invés disso, enumerou as reformas que Kiev devia realizar. 

    Em janeiro de 2015, Poroshenko teve uma conversa telefônica com o presidente do Parlamento Europeu Martin Schulz, depois da qual afirmou que os parlamentares europeus estavam dispostos a reconhecer as repúblicas autoproclamadas de Donbass como "organizações terroristas", enquanto Schulz não deu tais promessas. A afirmação até provocou um escândalo diplomático.

    O exagero é um truque frequente de Poroshenko. Mas isso já o tornou objeto de escárnio na primavera passada quando o serviço de imprensa do presidente informou sobre um encontro entre ele e líder norte-americano Barack Obama. Mais tarde, foi revelado que tinha sido apenas um aperto de mão durante a Cúpula de Segurança Nuclear.

    Não é só Poroshenko que é propenso a dizer coisas que não aconteceram. O deputado da Suprema Rada, Georgy Logvinsky anunciou ter sido eleito como vice-presidente da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa (APCE), apresentando-o como "mais uma vitória da Ucrânia na frente internacional". Na realidade, a APCE tem 20 vice-presidentes que se alternam rotativamente.

    "O problema da necessidade de reformas no país será cada vez mais desagradável durante os contatos entre as autoridades ucranianas e os parceiros ocidentais. É evidente que os ucranianos vão falar ainda mais sobre 'o apoio', 'as prioridades', 'a unidade', etc. Encontros protocolares vão transformar-se em 'êxitos inéditos'", escreve o jornal Evropeiskaya Pravda.

    Mais:

    Ucrânia será tema principal da primeira reunião entre Rússia e OTAN em 2017
    Infraestrutura da Ucrânia continua se desfazendo
    Instrutores da OTAN se tornam objeto de troça na Ucrânia
    Tags:
    Mike Pence, Martin Schulz, Barack Obama, Pyotr Poroshenko, EUA, UE, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik