21:26 03 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    22117
    Nos siga no

    A fidelidade da Itália ao presidente Donald Trump pode ser condicionada pelo acordo secreto entre Roma e Washington que foi assinado há 60 anos e será revelado em breve, disse o especialista militar Mirko Molteni à Sputnik Itália.

    Em entrevista à Sputnik Itália, Мirko Molteni focou-se especificamente na política atual da Itália de apoiar a posição do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre a OTAN.

    Durante sua campanha presidencial Trump declarou reiteradamente que os Estados Unidos devem reduzir o valor do apoio militar que prestam para os outros membros da organização, e defender apenas os países que "cumprem suas obrigações" para com Washington e a aliança.

    Isto significa que os aliados dos EUA, incluindo a Itália, deverão no futuro contribuir com mais dinheiro para a OTAN. De acordo com Molteni, a aceitação desta política por Roma pode ser explicada por diversos acordos secretos entre EUA e Itália que foram assinados 60 anos atrás e não foram tornados públicos inteiramente até hoje.

    O especialista disse que os acordos estipularam especificamente a criação do Centro de Comando da Força Conjunta da OTAN em Nápoles para combater as ameaças à segurança provenientes do Oriente Médio e da África do Norte.

    "Primeiro, é necessário estabilizar a situação na Líbia porque as tensões no país afetam o mercado de petróleo global e causam um afluxo de imigrantes para a Europa. Este centro ajudará a aliança a coordenar melhor suas ações na região", disse Molteni.

    Falando sobre as declarações de Trump nas quais ele apela aos aliados para contribuir mais para o financiamento da aliança, Molteni disse que os EUA "deram a entender que não vão suportar mais sozinhos todos os gastos da OTAN".

    Molteni não excluiu a possibilidade de a OTAN se passar a focar não na expansão para leste mas no Mediterrâneo por causa da assim chamada "ameaça russa".

    O especialista italiano espera que os documentos secretos sejam gradualmente desclassificados. Segundo ele, trata-se de documentos assinados durante a Guerra Fria "no momento em que a Itália aderiu à OTAN". Entre outras coisas, estes documentos contêm as condições secretas de participação do país na aliança.

    Mais:

    Portuguesa da CIA é libertada após perdão do presidente da Itália
    Itália quer fazer parte da nova Rota da Seda proposta pela China
    Bombas de Kiev mataram sua família, Itália lhe devolveu possibilidade de abraçar os filhos
    Tags:
    acordo secreto, ajuda militar, OTAN, Donald Trump, Roma, Itália, Europa, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar