09:21 26 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, durante a cúpula da OTAN em Varsóvia

    Quais são as condições de adesão da Ucrânia à OTAN?

    © REUTERS/ Kacper Pempel
    Europa
    URL curta
    497

    A questão da adesão da Ucrânia à Aliança Atlântica poderá ser levantada só após as Forças Armadas do país serem reformadas para corresponderem aos requisitos da OTAN, declarou na terça-feira (14) o representante da aliança na Ucrânia, Aleksandr Vinnikov.

    Mais cedo, o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko afirmou que tenciona realizar um referendo sobre a adesão do país à OTAN. Segundo disse ele, há quatro anos, 16 por cento da população eram a favor da integração, agora são 54 por cento. Entretanto, segundo um inquérito realizado pelo Instituto norte-americano de opinião pública Gallup, 35 por cento dos respondentes ucranianos consideram a aliança militar uma ameaça, 29 por cento a consideram como fator de proteção e 26 por cento não partilham nenhuma das opiniões.

    "Sabemos qual é a posição do presidente ucraniano em relação a essa questão, não é nova, tal opinião já foi expressa há dois anos. Atualmente o presidente determinou que a prioridade para a Ucrânia é a reforma das Forças Armadas, para que correspondam aos princípios e normas da OTAN. Só após isso ser feito podemos negociar a adesão", declarou Vinnikov aos jornalistas.

    No fim de 2014, os deputados da Suprema Rada alteraram a Constituição da Ucrânia, recusando o estatuto de país não-alinhado. A nova doutrina militar da Ucrânia prevê a linha de integração do país na OTAN. Para isso, a Ucrânia deve até 2020 garantir a harmonização plena das suas Forças Armadas com as dos países membros da Aliança.

    Anteriormente, ex-secretário geral da OTAN, o Anders Fogh Rasmussen, confirmou que, se a Ucrânia quiser tornar-se integrante da OTAN, precisa de cumprir uma série dos critérios cuja realização poderá exigir muito tempo. Além disso, a OTAN não permite a adesão daqueles países que têm disputas territoriais, o que é o caso da Ucrânia, pois esta considera a Crimeia como território seu temporariamente sob ocupação.

    Mais:

    Grã-Bretanha quer pagar a 'defesa' da Ucrânia e dos países Bálticos contra a Rússia
    Opinião: realidade política pós-eleitoral nos EUA faz lembrar a da Ucrânia
    Por que Parlamento da Ucrânia se tornou ringue de luta?
    Ucrânia irá realizar exercícios com fogo real de sistemas de mísseis Buk perto da Crimeia
    Tags:
    disputa territorial, adesão, integração, príncipe, regras, reforma, Gallup, Suprema Rada, Forças Armadas da Ucrânia, OTAN, Anders Fogh Rasmussen, Pyotr Poroshenko, Crimeia, EUA, Europa, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar