00:22 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Bitcoin, criptomoeda

    Fim da era dólar ameaçaria hegemonia americana?

    © Sputnik / Vladimir Astapkovich
    Economia
    URL curta
    8542
    Nos siga no

    Criptomoedas e moedas nacionais são ameaças reais à hegemonia do dólar nas transações financeiras internacionais, comentam especialistas.

    Após a Segunda Guerra Mundial, lideranças nacionais se reuniram no que foi chamado as conferências de Bretton Woods. Com a Europa arrasada e a urgente necessidade de reorganizar o mundo dos negócios, o dólar americano foi estabelecido como moeda mundial, sendo base para transações comerciais e financeiras.

    Os EUA e o dólar

    Mesmo com o fim da convertibilidade do dólar em ouro na década de 1970, a moeda americana continua tendo o status de moeda mundial. Se por um lado o dólar facilitou as negociações, por outro ele concedeu grande poder aos Estados Unidos.

    "Para Washington o uso do dólar como moeda mundial é a principal ferramenta de uso econômico e político. Ao perder tal ferramenta, os americanos perderão parte considerável de sua hegemonia mundial e de sua influência nos processos mundiais, tal como a recente pressão exercida sobre a Rússia, China e França. Se o comércio for feito sem o dólar, os países poderão não dar ouvidos a Washington", disse Vladimir Bruter, acadêmico do Instituto Internacional de Pesquisas Político-Humanitárias em Moscou, Rússia, em entrevista ao canal RT.

    O uso do dólar em guerras comerciais acaba provocando instabilidade no mercado, disparidades em setores industriais, assim como afeta países que não estão ligados diretamente a tais conflitos.

    Alternativas e desafios

    Uma das soluções para o fim da era do dólar seria o uso de uma criptomoeda a nível global, como propôs Mark Carney, presidente do Banco da Inglaterra.

    "O mais notável desses projetos é a infraestrutura de pagamentos Libra [criptomoeda que deverá ser lançada pelo Facebook], ou seja, uma criptomoeda baseada em reservas de ativos de diferentes moedas como o dólar, o euro e a libra esterlina. Ela pode ser usada pelos usuários dos messengers assim como em operações no varejo", disse Carney.

    No entanto, o uso de uma criptomoeda no lugar do dólar traz muitos desafios. De acordo com Bruter, os países de todo mundo deveriam ter posições iguais, o que poderá acarretar alguma perda de soberania dos Estados.

    Além das criptomoedas, alguns países realizam trocas comerciais em moedas nacionais ao invés do dólar.

    "Nós, por exemplo, já fazemos 70% de nossas exportações e 30% de nossas importações com os países da União Econômica Eurasiática em rublos", disse o presidente Putin.

    Embora se livrar do dólar não seja uma tarefa simples, Rússia e China já tomaram algumas medidas de desdolarização de seu comércio. Autoridades financeiras de ambos os países assinaram um acordo de não uso do dólar em transações comerciais mútuas. Sendo assim, o comércio entre ambos deverá ser feito tanto em rublos quanto em yuans.

    Mais:

    Wall Street adverte: dólar está perdendo estatuto de moeda de reserva internacional
    FMI não confirma acusação dos EUA à China sobre 'manipulação da moeda'
    Impérios contra-atacam: Rússia e Índia se juntam para retaliar contra dólar
    Tags:
    China, EUA, criptomoeda, dólar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar