02:11 24 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Um tsunami

    Sistema financeiro criado pelos EUA ameaça mundo com 'tsunami'

    CC0 / Pixabay/NeuPaddy
    Economia
    URL curta
    93256311

    Enquanto bancos centrais de diferentes países estão emitindo dinheiro sem parar, Wall Street não para de inventar novos mecanismos que põem em risco a estabilidade financeira global.

    O analista financeiro alemão Ernst Wolff falou com a Sputnik Alemanha sobre os problemas do sistema financeiro atual. Em seu livro "Tsunami Financeira", ele compara sistema financeiro atual com um paciente.

    "O paciente tem uns 75 anos. Nosso sistema financeiro foi fundado nos EUA na cidade de Bretton Woods em 1944. Atualmente, este paciente tem problemas de saúde, porque em 1998 e depois outra vez entre 2007 e 2008 ele esteve a ponto de morrer. Após essa segunda crise, o sistema financeiro se encontra em um estado viável de forma artificial como se estivesse na unidade de terapia intensiva", disse Wolff em entrevista à Sputnik.

    O especialista sublinhou que, para entender o principal problema do sistema financeiro global, é necessário entender que o Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos, Banco Central dos EUA, foi fundado há quase um século. 

    "Muitas pessoas não sabem que o Sistema de Reserva Federal não é uma instituição estatal, é uma organização privada, é um cartel bancário controlado por famílias grandes e ricas, e isso tem sido silenciado há muitos anos", disse Wolff.

    Desde 1944, o dólar tem sido a moeda mais importante do mundo. Entretanto, hoje em dia ele está atravessando um período difícil devido à situação interna nos EUA. O país tem muitos rivais no mercado mundial. Um deles é a China. Pouco a pouco, os países começam a rejeitar o uso do dólar no comércio.

    "Os líderes mundiais que se opuseram ao dólar pagaram caro. O presidente iraquiano Saddam Hussein, que tentou vender o petróleo em euros, foi executado, e Muammar Kadhafi tentou fazer o mesmo na Líbia, sabemos como ele acabou. Nos últimos anos, observamos um conflito semelhante com a Venezuela", disse Wolff, sublinhando que a era do dólar ainda está de pé, mas está se aproximando gradualmente do seu fim.

    Mais do que isso, o sistema financeiro moderno está inflado. É maior que a economia real e está completamente desvinculada a ela. Entretanto, o sistema financeiro não produz bens.

    "Nos últimos 30 anos, ele [sistema financeiro] se tornou um cassino gigante onde circula dinheiro. Dado que os créditos são a base desse sistema, para usá-lo é necessário emitir cada vez mais dinheiro. As instituições financeiras, tais como o Fundo Monetário Internacional e o Banco Central Europeu são os maiores manipuladores do sistema. Eles estão imprimindo cada vez mais dinheiro", explicou o especialista. 

    No entanto, Wolff explicou que um dos principais perigos para o mundo é o fato de que hoje os financistas falam em outro idioma – incompreensível para o cidadão comum.

    Atualmente, muitos instrumentos financeiros são conhecidos como derivados financeiros. "Podem ser qualquer coisa: opções de venda, opções de compra ou 'swaps'. Não há necessidade de saber qual é a diferença entre eles. A única coisa que deve saber é que os derivados são um tipo de casa de apostas que ameaça todos", disse ele.

    O analista acusou o sistema financeiro de ter iniciado muitos problemas enfrentados hoje em dia pela Europa.

    "A crise dos refugiados na Europa é resultado da desigualdade e de guerras. Os grandes investidores se aproveitam das guerras", concluiu ele.

    Mais:

    Do que vive Coreia do Norte? Dissecamos sua economia
    Economia do mercado chegaria à Coreia do Norte? (FOTOS)
    Tags:
    catástrofe, problemas, finanças, Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik