03:17 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    George Soros, presidente do Soros Fund Management, concede uma entrevista à CNN quanto à Iniciativa Global de Clintons, em Nova York, em 27 de setembro de 2015  (foto de arquivo)

    Soros brinca com títulos de maiores empresas americanas após eleição de Trump

    © AP Photo / Mark Lennihan
    Economia
    URL curta
    3118
    Nos siga no

    O fundo de cobertura Soros Fund Management, de George Soros, introduziu mudanças significativas na sua carteira de investimentos no 4º trimestre de 2016, entre as quais a compra de ações no valor de 14,9 milhões de dólares do grupo financeiro multinacional Goldman Sachs.

    O Soros Fund Management, segundo diz o próprio nome, gerencia as finanças do polêmico bilionário George Soros, que alegadamente terá tentado impor uma "nova ordem mundial" após a eleição americana em 2016, de acordo com vários analistas.

    Um relatório que revelou as compras e vendas do fundo nos finais do ano passado foi publicado há pouco, revela aquisições de enorme valor realizadas após a eleição inesperada de Trump.

    A Goldman Sachs e outras empresas financeiras obtiveram grandes investimentos após a vitória do candidato republicano nas presidenciais, já que as promessas de Trump quanto à desregulamentação e cortes de impostos tornaram o setor financeiro em uma aposta segura para os investidores.

    Soros, que gastou centenas de milhões da sua fortuna com as causas liberais e tem sido um crítico incansável de Donald Trump, se deparou com a desvalorização brusca de 1 bilhão de dólares da sua carteira de ações após a eleição.

    Além da Goldman Sachs, Soros comprou centenas de milhões de títulos em empresas como o Facebook, Time Warner, T Mobile e Kohls.

    O empresário também eliminou por completo sua participação na Barrick Gold [a maior multinacional na área da extração de ouro no mundo], já que o mercado de ouro se contraiu significativamente nos finais de 2016. Ele também vendeu a maior parte das suas ações da Intel, Wisdomtree e Procter & Gamble.

    A maior parcela dos seus títulos, ou seja, 14%, diz respeito à empresa de comunicação Liberty Broadband. Porém, ela se reduziu em 6% desde o 3º trimestre de 2016.

    A candidatura para o posto do secretário do Tesouro de Trump, Steven Mnuchin, ex-vice-executivo da Goldman Sachs, foi confirmada pelo Senado nesta terça-feira (14). Vale ressaltar que Mnuchin também foi membro de um grupo de investimento junto com Soros na década passada.

    Mais:

    Patrocinador da campanha de Clinton prevê 'fracasso da ditadura de Trump'
    Obama vs Trump: 7 guerras e um decreto
    Opinião: presidente dos EUA enfrenta resistência à melhoria de relações com Rússia
    Tags:
    Goldman Sachs, Facebook, George Soros, Donald Trump, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar