01:10 17 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    0 15
    Nos siga no

    Nova Deli encara uma falta de equipamento nas suas Forças Armadas e foi forçada a cortar nas despesas militares com a pandemia do novo coronavírus, razão pela qual o aluguel seria uma opção.

    A Índia vai equipar seus navios de guerra com três armas navais de calibre médio de 127 milímetros da Marinha dos EUA. O Ministério da Defesa da Índia também confirmou que serão usados seis aviões de passageiros Airbus A320 como aeronaves de Alerta e Controle Aéreo Antecipado (AEW&C, na sigla em inglês) para detectar aviões, navios e outros veículos a longas distâncias.

    Especialistas veem estes passos, aprovados em outubro de 2020 com o Plano de Compras de Defesa do país, como uma medida de curto prazo para preencher as lacunas nas forças da Índia.

    "Penso que a recente decisão de alugar algumas armas americanas é motivada mais pela crise no leste de Ladakh [nos Himalaias, com a China] e pela necessidade de preencher as lacunas na preparação operacional", comentou Laxman Kumar Behera, professor associado do Centro Especial de Estudos de Segurança Nacional da Universidade Jawaharlal Nehru, Índia.

    "A prioridade do governo passará por uma grande mudança [...] Isto não está limitado a este ano [2021] [...] A saúde terá prioridade [...] A defesa sofrerá um duro golpe", disse um funcionário do Tesouro do governo indiano à Sputnik.

    O novo programa de defesa da Índia descreve o aluguel como um "meio de possuir e operar um bem [militar] sem possuir o bem", acrescentando que ele fornece uma maneira útil "de substituir enormes gastos iniciais de capital por pagamentos periódicos".

    "O aluguel proporciona um grau de amortecimento para adquirir certas capacidades sem ter que as possuir durante o ciclo de vida", continuou Behera, aludindo ao orçamento limitado da defesa devido à desaceleração econômica induzida pela pandemia da COVID-19.

    Força Aérea tem falta de caças

    A Força Aérea da Índia (IAF, na sigla em inglês) enfrenta uma escassez de aeronaves de reabastecimento, bem como de 200 caças, e também deverá alugar helicópteros leves e aeronaves de treinamento. Com menos de 30 esquadrões (18 caças cada um), Nova Deli precisará de 42 esquadrões caso venha a eclodir uma guerra simultânea com China e Paquistão.

    "No que diz respeito ao aluguel, esta opção deve ser utilizada apenas para avaliar uma determinada plataforma antes da aquisição e para a iniciação urgente, evitando a propriedade de sistemas não testados", aconselhou Rahul K. Bhonsle, analista de defesa e brigadeiro aposentado do Exército da Índia.

    A Índia alugou anteriormente um submarino nuclear russo Chakra ao invés de comprar um, para poder gastar seu dinheiro em outras atualizações militares. Está prevista a obtenção de outro submarino nuclear de Moscou em 2025, após a assinatura de um contrato de US$ 3 bilhões (R$ 16,2 bilhões) em 2019.

    Militares da Índia, China e Rússia treinam juntos para serem capazes de prevenir e, se for necessário, repelir ataques de organizações terroristas
    © Sputnik / Aleksandr Kondratuk
    Militares da Índia, China e Rússia treinam juntos para serem capazes de prevenir e, se for necessário, repelir ataques de organizações terroristas

    Além disso, em outubro os EUA propuseram vender caças F-16 e F-18, embora a Índia quisesse caças F-15EX de dois motores multiuso, sugeridos em fevereiro de 2020 pela empresa de aviação Boeing.

    No entanto, Bhonsle recomenda que o aluguel seja feito como uma medida provisória, porque "nem sempre é financeiramente benéfico a longo prazo". Além disso, os aviões têm de ter um sistema familiar aos pilotos da IAF, aponta.

    Mais:

    Índia acusa China de usar 'armas pouco ortodoxas' durante conflitos em Ladakh
    Navio militar indiano conduz exercício com Marinha do Vietnã no mar do Sul da China (FOTOS)
    Interesse se mantém apesar da pandemia: diretor da Rostec comenta exportações de armas russas
    Índia envia comandos anfíbios à região fronteiriça de Ladakh em meio a impasse com China
    Após invasão falha na Caxemira, Índia e Paquistão trocam tiros na fronteira com 'baixas' de civis
    Tags:
    Marinha, Airbus A320, Airbus, Ministério da Defesa da Índia, Ministério da Defesa, Marinha dos EUA, Himalaias, Ladakh, Sputnik News, Sputnik, Paquistão, Força Aérea da Índia, Força Aérea, Exército da Índia, Exército, F-15EX, F-18, F-16, Boeing, COVID-19, China, EUA, Índia, Forças Armadas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar