09:20 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    10640
    Nos siga no

    Com os EUA considerando a Índia um grande parceiro de defesa, o governo indiano esperava receber uma isenção das sanções pela aquisição de cinco unidades S-400, mas a Índia deve fazer uma escolha, disse o embaixador dos EUA.

    A lei norte-americana que autoriza imposição de sanções aos países que celebraram acordos de compra de armamentos com a Rússia não foi formulada para punir amigos ou aliados, mas Nova Deli deve decidir se quer alargar sua cooperação com Washington, expressou o embaixador dos EUA na Índia, Kenneth Juster, na terça-feira (5).

    "Sanções nunca foram destinadas para prejudicar amigos e aliados. A Índia quer manter suas opções abertas, mas, ao final, escolhas devem ser feitas", disse Kenneth Juster, citado pelo The Indian Express.

    A declaração foi expressa algum tempo após os EUA imporem sanções contra a Turquia – país membro da OTAN – por causa da decisão turca de comprar sistemas de mísseis russos S-400.

     

    Presidente russo Vladimir Putin e primeiro-ministro da Índia Narendra Modi durante a cerimônia de assinatura de documentos após negociações.
    © Foto / Assessoria de imprensa do presidente da Rússia
    Presidente russo Vladimir Putin e primeiro-ministro da Índia Narendra Modi durante a cerimônia de assinatura de documentos após negociações.

     

    Juster considerou que as relações de defesa entre os Estados Unidos e a Índia afetam as escolhas que Nova Deli deve fazer em transferências de tecnologia com outras nações a fim de alargar sua cooperação com Washington.

    "O governo dos EUA e a indústria de defesa têm aumentado a pesquisa conjunta, a produção e as vendas de defesa com a Índia, e tornaram disponíveis alguns dos mais sensíveis equipamentos militares dos EUA", ressaltou o embaixador.

    Nesta segunda-feira (4), o Serviço de Pesquisa do Congresso (CRS, na sigla em inglês) – uma ala de pesquisa independente e bipartidária do Congresso dos EUA – alertou em comunicado à câmara que "o acordo multibilionário da Índia para compra do sistema russo de defesa antiaérea S-400 pode desencadear sanções contra a Índia previstas pelo Ato Contra Adversários da América Através de Sanções [CAATSA, na sigla em inglês]".

    Em outubro de 2018, a Índia assinou um contrato com a Rússia para comprar cinco unidades de sistemas de mísseis de defesa antiaérea S-400. No intuito de evitar o CAATSA, os dois países também formularam um mecanismo de pagamento, e a Índia transferiu a primeira parcela de pagamento de cerca de US$ 800 milhões (R$ 4,2 bilhões) à Rússia em 2019.

    Apesar de várias tentativas de aliviar a lei, a administração Trump segue ameaçando a Índia com sanções segundo CAATSA e, em troca, ofereceu à Índia sistemas de defesa antimísseis norte-americanos.

    Mais:

    Índia encomenda 12 navios-patrulha para 'combater' China em Ladakh
    Boris Johnson cancela visita à Índia, alegando necessidade de supervisionar resposta ao vírus
    Vacinas de Oxford/AstraZeneca importadas da Índia vão custar R$ 59,4 milhões à Fiocruz
    Tags:
    S-400, embaixador, EUA, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar