13:23 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    1243
    Nos siga no

    Caças F-22 da Força Aérea dos Estados Unidos levantaram voo para acompanhar bombardeiros estratégicos russos Tu-95MS no Extremo Oriente.

    Dois bombardeiros estratégicos russos Tu-95MS estavam realizando um voo programado sobre as águas neutras dos mares de Chukotka, Bering, Okhotsk e Beaufort. O voo durou cerca de 12 horas.

    O voo dos bombardeiros foi acompanhado por caças Su-35S da Força Aeroespacial da Rússia e por MiG-31 da aviação naval da Marinha da Rússia. "Em algumas etapas da rota os aviões russos foram acompanhados por caças (dois F-22) da Força Aérea dos Estados Unidos", segundo comunicado do Ministério da Defesa da Rússia.

    Os pilotos da aviação de longo alcance operam voos regularmente sobre as águas internacionais do Ártico, Atlântico Norte, mares Negro e Báltico, e também oceano Pacífico, em total conformidade com o direito internacional, destacou o ministério russo.

    Os aviões russos "ficaram no espaço aéreo internacional e não entraram no espaço aéreo dos Estados Unidos ou Canadá", detalhou o Comando de Defesa Aeroespacial da América do Norte.

    Os bombardeiros estratégicos russos e estadunidenses operam voos perto das fronteiras regularmente, sem entrar no espaço aéreo um do outro. Durante esses voos, interceptações são realizadas por caças. Normalmente, esses voos são realizados sem incidentes, sendo uma prática padrão.

    Mais:

    EUA transformam avião de carga C-17 em bombardeiro durante testes (FOTOS)
    Bombardeiros B-52 dos EUA simulam ataque aéreo à 'fortaleza russa no Báltico', escreve Forbes
    Pentágono desenvolve drone 'simulador de caças inimigos de 5ª geração' (FOTO)
    Caças F-16 de Taipé interceptam avião de combate da China no estreito de Taiwan, segundo mídia
    Tags:
    Extremo Oriente Russo, Extremo Oriente, bombardeio, caça, caças, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar