04:23 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    1710
    Nos siga no

    Durante a Guerra Fria, a Noruega recebeu gratuitamente 300 caças e 8.000 veículos militares norte-americanos. Na Segunda Guerra Mundial, as Forças Armadas do país europeu foram devastadas.

    A Noruega e os EUA estão trabalhando para atualizar o Acordo de Assistência Mútua em Defesa concluído nos anos 1950, informou o jornal militar norueguês Forsvarets Forum.

    O Ministério da Defesa da Noruega está muito atento às informações, não revelando nem o motivo das negociações, nem seu conteúdo.

    "Não foi definida uma data final para as negociações entre os EUA e a Noruega. É muito cedo para dizer algo mais sobre o processo agora", afirmou o assessor de imprensa do Ministério da Defesa, Lars Gjemble, à emissora nacional NRK.

    Durante a Guerra Fria, a Noruega recebeu 300 aviões de caça e 8.000 veículos militares gratuitamente. Até 1996, o montante total de ajuda dos EUA à Noruega atingiu 83 bilhões de coroas norueguesas (R$ 48,4 bilhões).

    Quando o acordo entre os EUA e a Noruega foi celebrado em 1950, a Noruega procurou acima de tudo fortalecer suas Forças Armadas no país, que haviam sido devastadas pela Segunda Guerra Mundial e precisavam de armas e assistência do exterior. Para os EUA, era uma oportunidade de salvaguardar seus interesses de segurança.

    A ajuda militar norte-americana não deve ser confundida com a ajuda civil fornecida através do Plano Marshall. A partir de 1948, a Noruega recebeu o que hoje é equivalente a 60 bilhões de coroas norueguesas (R$ 35 bilhões), que foi gasto na compra de produtos agrícolas, petróleo, carvão e bens industriais.

    Fuzileiros navais de vários países participam de exercícios militares na Noruega
    Fuzileiros navais de vários países participam de exercícios militares na Noruega

    As negociações não passaram desapercebidas pelos críticos. O líder do partido Vermelho, Bjornar Moxnes, argumentou que uma cooperação militar mais estreita com os EUA era o caminho errado para a Noruega, pois leva a uma rivalidade de superpotências nas áreas vizinhas do país.

    De acordo com Moxnes, o acordo militar renovado levará a mudanças na política de segurança norueguesa que entrarão em conflito com os interesses noruegueses, salientando que o público não foi devidamente informado sobre as negociações.

    "Infelizmente, vemos repetidamente que o governo prioriza a lealdade aos Estados Unidos em detrimento da abertura e da democracia. Em geral, deve ser uma questão natural que o Parlamento seja informado sobre todos os tipos de acordos que têm impacto na política de segurança norueguesa", ressaltou Moxnes à NRK, exigindo uma resposta de Frank Bakke-Jensen, ministro da Defesa.

    Orientação militar da Noruega

    Nos últimos anos, a Noruega tem desfrutado de ampla cooperação com os EUA, que inclui escalas portuárias por submarinos e presença de fuzileiros navais norte-americanos em regime de rotação, vigilância e numerosos exercícios militares conjuntos. Os principais políticos da Noruega citam frequentemente as atualizações militares da Rússia na região do Ártico como a razão subjacente.

    Ao mesmo tempo, a Noruega intensificou a cooperação com outros países nórdicos. No início desta semana, a Noruega assinou um acordo de cooperação trilateral com a Suécia e a Finlândia, que, nas palavras do ministro de Defesa sueco Peter Hultqvist, significa especificamente um "sinal para a Rússia".

    Nos últimos anos, as relações bilaterais russo-norueguesas têm se deteriorado, devido a acusações recíprocas de espionagem e rearmamento, levando à desconfiança mútua.

    Mais:

    Forças da OTAN escoltam 9 navios russos no mar do Norte
    EUA 'se atrasam para festa' no Ártico após 'agressões' sino-russas, mas se darão bem, diz Pompeo
    Bombardeiros dos EUA voam com cada vez mais frequência no espaço aéreo escandinavo
    Submarinos russos no Atlântico ameaçam EUA e OTAN, escreve The Wall Street Journal
    Tags:
    OTAN, Forças Armadas da Noruega, Forças Armadas, Ministério da Defesa, Segunda Guerra Mundial, EUA, Guerra Fria, Noruega
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar