06:09 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    3181
    Nos siga no

    Casa Branca pede ao Congresso que evite que o caos orçamentário impeça os planos da Marinha dos EUA para iniciar o projeto detalhado e a construção de dois submarinos nucleares de mísseis balísticos da classe Columbia.

    Se o Congresso dos EUA não intervier nesta situação, a Marinha norte-americana não terá o dinheiro ou autorização para iniciar os trabalhos nos submarinos, anunciados em junho no âmbito de um contrato planejado de US$ 10,4 bilhões (R$ 55,1 bilhões) com a General Dynamics Electric Boat.

    A compra de dois navios constitui um projeto do tipo "novo começo" e, portanto, não seria autorizada ao abrigo de uma medida de despesa provisória se o Congresso não aprovar o orçamento, relata Defense News.

    No entanto, a Casa Branca solicitou ao Congresso uma isenção para os submarinos da classe Columbia e dezenas de outros equipamentos das restrições normais em uma medida provisória de financiamento.

    Estas restrições impedem projetos considerados "novo começo" congelando os níveis de financiamento de 2020.

    A Câmara dos Representantes e o Senado dos EUA estão em negociações para aprovar uma resolução contínua antes que acaba o ano fiscal de 2020, que termina em 30 de setembro, a fim de evitar a paralisação do governo.

    O Congresso dos EUA está encalhado em um novo pacote de ajuda de emergência devido ao coronavírus, e apenas a Câmara tem aprovado as leis de dotações orçamentárias, o que significa que o Congresso vai precisar mais tempo para aprovar um pacote de dotações para o ano fiscal de 2021.

    Mais:

    Misteriosas FOTOS mostram menor embarcação da Marinha dos EUA afundada por submarino
    Noruega reforça porto militar no norte do país para acolher submarinos nucleares dos EUA
    Venezuela possui submarino secreto que poderia sabotar interesses dos EUA no Caribe, diz Forbes
    Tags:
    Columbia, déficit, ano fiscal, Congresso dos EUA, Marinha dos EUA, submarino nuclear
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar