08:45 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    12692
    Nos siga no

    O avião entrou em serviço na Força Aérea do país em 1996 e foi exportado às centenas para vários países, que apreciaram o baixo custo e boas capacidades da aeronave.

    A revista norte-americana Military Watch elogiou o caça russo Su-30, se referindo ao grande número de compradores internacionais da aeronave, com 550 aviões Su-30 vendidos ao longo dos anos.

    O Su-30 integrou a Força Aérea da Rússia em 1996 como uma versão melhorada do Su-27, que era um caça pesado pensado puramente para obtenção de supremacia aérea. O Su-30 também continua tendo a maior produção na Rússia na forma dos modelos Su-30MKI e Su-30SM.

    Ao avião foi acrescentada a capacidade de combater alvos terrestres e marítimos, o que tornou a aeronave particularmente atrativa aos países costeiros da Ásia, que precisam de se preocupar em defender seus territórios no mar.

    O Su-30 russo usa "motores mais potentes, mais materiais compostos, novos sensores e sistemas de guerra eletrônica e tem acesso a uma mais ampla gama de novos armamentos" que o Su-27, refere a mídia, e não parou de ser melhorado no último quarto de século.

    O caça mais vendido pela Rússia ainda tem melhoramentos planejados no futuro, que incluem a integração de motores AL-41 para maior manobrabilidade, assim como a adição de um novo radar mais potente e novos tipos de mísseis hipersônicos, tanto para combate antinavio como ar-ar, com serviço garantido na Força Aérea da Rússia até 2027, quando poderá ser decidido se haverá necessidade de se focar mais nos Su-57 e MiG-41, relata a Military Watch.

    Caça-bombardeiro Su-30 realiza voo de demonstração como parte do Fórum Internacional EXÉRCITO 2020 no aeródromo de Kubinka, região de Moscou, Rússia
    © Sputnik / Aleksandr Vilf
    Caça-bombardeiro Su-30 realiza voo de demonstração

    No entanto, é planejado que as exportações do Su-30 continuem pelo menos até os anos 2030.

    Devido a seu preço baixo em relação às alternativas dos EUA, houve uma série de novos compradores, particularmente na Ásia, onde os países costeiros precisam frequentemente de defender seus territórios marítimos, como a Índia, que obteve 350 exemplares, bem como a China, que comprou 97. No total, foram vendidos 550 aviões Su-30 ao longo dos anos.

    Além desses, foram adquiridos por países como a Bielorrússia, Venezuela, Vietnã, Indonésia, Malásia, enquanto Mianmar, bem como Angola, Armênia e Cazaquistão, fizeram encomendas recentemente. Irã, Sri Lanka, Etiópia, Azerbaijão e Egito também estão ponderando reforçar suas forças aéreas com o caça russo, o último depois de ter comprado aviões Su-35.

    Mais:

    China aciona caças Su-30 após avião militar dos EUA sobrevoar Taiwan, revela mídia
    Su-35 vs. MiG-35: The National Interest compara capacidades dos caças russos
    À 3ª é de vez? Míssil BrahMos totalmente integrado com plataforma Su-30, diz Índia
    Tags:
    Egito, Azerbaijão, Etiópia, Sri Lanka, Irã, Cazaquistão, Armênia, Angola, Mianmar, Malásia, Indonésia, Vietnã, Venezuela, Bielorrússia, Índia, China, Su-57, Su-27, Força Aérea da Rússia, Su-30SM, Su-30MKI, Su-30, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar