05:46 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Defesa
    URL curta
    4300
    Nos siga no

    Defesa bielorrussa verifica prontidão de combate de suas unidades em polígonos militares e outras áreas, enquanto realiza manobras na região de Grodno, fronteiriça com a Polônia e a Lituânia.

    O exercício tático é liderado pelo chefe do Comando Ocidental da Bielorrússia. Unidades mecanizadas, de cavalaria, de paraquedistas, de artilharia e engenharia estão tomando parte da manobra, bem como unidades de drones e de guerra eletrônica.

    Enquanto isso, unidades de inteligência da 11ª Brigada Mecanizada executam missões de reconhecimento em áreas específicas.

    Por sua vez, as tripulações de aeronaves Yak-130 treinam ações de defesa das fronteiras aéreas da Bielorrússia, publicou o Ministério da Defesa bielorrusso.

    É válido ressaltar que o exercício está ocorrendo na região de Grodno, que faz fronteira com a Polônia e a Lituânia, dois países membros da OTAN.

    É também conhecido que a Aliança Atlântica efetua regularmente exercícios militares próximo das fronteiras entre a Bielorrússia e os referidos países.

    Tensões

    Atualmente a Bielorrússia tem vivido grandes manifestações contra o governo do presidente Aleksandr Lukashenko, que se iniciaram em 9 de agosto após o anúncio de resultados preliminares da eleição presidencial.

    Durante o pleito, tanto os resultados preliminares quanto os finais apontaram para a vitória de Lukashenko.

    Por sua vez, a oposição bielorrussa, em parte atuando fora do país, demandou a mudança de governo e incentivou os protestos.

    Contudo, atos de favor de Lukashenko também são registrados na Bielorrússia.

    Mais:

    Oposição na Bielorrússia repete cenário da Venezuela ao exigir a saída de Lukashenko, diz Lavrov
    Outono do patriarca: por que a sociedade bielorrussa se insurgiu contra Lukashenko agora?
    'Bielorrússia reagirá a violações nas fronteiras sem advertência', diz Lukashenko
    Tags:
    eleições, manifestações, OTAN, exercício militar, Aleksandr Lukashenko, Bielorrússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar