12:17 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Soldados alemães entram em avião de transporte Transall C-160

    EUA pressionam Alemanha para que esta preste apoio militar e financeiro à Síria

    © AP Photo / Jan Pitman
    Defesa
    URL curta
    11317
    Nos siga no

    O representante especial dos EUA na Síria, James Jeffrey, esteve estes dias em Berlim em uma tentativa de obter apoio militar e financeiro do governo alemão.

    Enquanto isso, Washington elevou a pressão sobre Berlim com o objetivo de expandir sua missão na Síria.

    O diplomata norte-americano pediu formalmente à Alemanha que enviasse tropas terrestres para a Síria, para ajudar a combater o Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em outros países), alegando que os aliados precisam fornecer apoio técnico à oposição liderada pelos curdos.

    Durante uma entrevista à agência de notícias alemã DPA e ao jornal semanal Welt am Sonntag, o diplomata norte-americano solicitou à Alemanha que enviasse instrutores militares, especialistas em logística e técnicos para apoiar as Forças Democráticas Sírias (FDS), lideradas pelos curdos.

    "Nós queremos que as tropas terrestres da Alemanha substituam parcialmente os nossos soldados", afirmou Jeffrey, ressaltando que espera receber uma resposta do governo alemão ainda neste mês.

    "Esperamos que os alemães sejam capazes de fazer mais", enfatizou Jeffrey, afirmando que os aliados internacionais precisam apoiar os norte-americanos e que está otimista quanto ao envio de tropas aliadas.

    Veículo blindado sendo enviado pelos EUA ao Conselho Militar de Manbij, na Síria
    © Sputnik / HİKMET DURGUN
    Veículo blindado sendo enviado pelos EUA ao Conselho Militar de Manbij, na Síria

    Em Berlim, James Jeffrey deixou claro que estava tentando obter promessas de apoio militar e financeiro do governo alemão, bem como de outros aliados.

    No entanto, não pediu um número específico de soldados, mas apontou que as tropas terrestres precisariam ser capazes de se defender em caso de combates.

    Atualmente, a coalizão que luta contra o Daesh inclui aproximadamente 80 países, com a Alemanha contribuindo com aviões de reconhecimentos, um avião de reabastecimento e caças de treinamento baseados no Iraque.

    Soldados dos EUA usando símbolos bordados das Unidades de Proteção Popular (YPG) curdas no norte da Síria
    Soldados dos EUA usando símbolos bordados das Unidades de Proteção Popular (YPG) curdas no norte da Síria

    Washington tem elevado a pressão sobre Berlim, em uma tentativa de expandir a sua missão na Síria. As exigências dos EUA são rejeitadas pelo Partido Social Democrata, que quer que o governo encerre o compromisso com a Síria neste ano.

    Em dezembro de 2018, Trump declarou que o Daesh foi derrotado e anunciou a retirada de 2.000 soldados norte-americanos presentes no nordeste da Síria.

    Contudo, posteriormente, os EUA afirmaram que deixariam aproximadamente 200 soldados no país para patrulhar a zona fronteiriça com a Turquia.

    Mais:

    EUA pressionam Alemanha a não retirar recursos de força aérea da Síria
    EUA violam acordo com a Rússia ao se aproximarem de base aérea na Síria
    Rússia não negocia aliados: presidente russo sobre possível acordo com EUA em relação à Síria
    Tags:
    resgate financeiro, aliados, ajuda, tropas, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar