19:21 15 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Munição (imagem referencial)

    Especialista revela para que EUA tentam comprar munições de produção russa

    © flickr.com/ Krystian Olszanski
    Defesa
    URL curta
    10613
    Nos siga no

    O Pentágono anunciou uma licitação para a compra de munições de origem russa, nomeadamente para fuzis de assalto, metralhadoras, e outras armas ligeiras que não são utilizadas pelos países da OTAN. O especialista militar Aleksandr Zhilin explicou à rádio Sputnik o possível destino de tais munições.

    Na entrevista para o serviço russo da rádio Sputnik, Aleksandr Zhilin, coronel aposentado e diretor do Centro Analítico de Problemas Sociais de Segurança Nacional, expressou sua opinião sobre o recente aviso de compra de munições russas pelo Pentágono.

    "Tudo depende da quantidade de munições a serem compradas. Se o volume de compras for grande, essas munições serão usadas por terroristas na Síria, Afeganistão e em outras regiões onde os americanos estão combatendo por intermédio dessas forças. Os terroristas utilizam frequentemente armas soviéticas e russas porque estas são lançadas no mercado negro pela Ucrânia e por outros países, pelo que precisam de munições", explicou Zhilin.

    Segundo ele, os combates intensos na Síria contra o exército do governo sírio exigiram uma enorme quantidade de munições. Por conseguinte, de acordo com o especialista, muito provavelmente está prevista uma série de operações em que também estas munições serão necessárias.

    "Se se tratar de pequena quantidade de suprimentos, é provável que estes sejam usados para fins de treinamento. De fato, os americanos usam armas, camuflagem e outros atributos de exércitos que eles consideram inimigos potenciais. Nós, por exemplo, nunca usamos símbolos dos EUA em exercícios militares, mas os americanos compraram nossos aviões para treinar seus pilotos a operar contra os nossos equipamentos", acrescentou Zhilin.

    Recentemente a mídia informou que o Comando de Contratação do Exército dos EUA (ACC, na sigla em inglês) publicou um aviso no site principal de contratação do governo norte-americano pedindo informações de empresas sobre sua capacidade de produzir e fornecer munições comerciais não padronizadas, ou seja, não utilizadas pela NATO. Os EUA pretendem adquirir munições para rifles de assalto, pistolas, fuzis de precisão e metralhadoras de produção russa.

    Mais:

    Especialista: EUA impõem aos países da OTAN suas armas e estas não são das melhores
    Tanta verba e nenhuma concretização: 5 projetos de armas dos EUA que não saíram do papel
    Trump promete retirar os EUA do Tratado Internacional de Comércio de Armas
    Tags:
    armas, produção, munição, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar