06:11 23 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Novo navio quebra-gelo brasileiro vai substituir a embarcação NApOc Ary Rongel

    LAAD 2019: ida de Bolsonaro ao Chile vira trunfo de consórcio por quebra-gelo da Marinha

    © Foto / Divulgação / Marinha do Brasil
    Defesa
    URL curta
    Por
    LAAD 2019 no Rio de Janeiro (10)
    51115
    Nos siga no

    A aproximação de Brasil e Chile neste início do governo do presidente Jair Bolsonaro é um dos trunfos para uma parceria entre as Marinhas dos dois países que pode construir o Navio de Apoio Antártico (NApAnt), como é conhecido a embarcação quebra-gelo brasileira, em um projeto orçado em US$ 500 milhões (cerca de R$ 4 bilhões).

    A perspectiva foi revelada à Sputnik Brasil pelo engenheiro Vinicius Bocaiúva, CEO e representante da companhia VSK Tactical, sediada nos Estados Unidos, em entrevista concedida na 12ª LAAD Defence & Security, a mais importante feira de defesa e segurança da América Latina e que acontece até sexta-feira no Rio de Janeiro.

    "Sem dúvida o atual momento político entre Brasil e Chile, sob a presidência de Jair Bolsonaro, tem um peso significativo para essa aproximação. Sentimos um impacto claro nas conversas que estamos mantendo com a Marinha do Brasil", declarou Bocaiúva, minutos depois de oficiais da Força Naval brasileira terem deixado o estande da empresa.

    Bolsonaro esteve recentemente em Santiago para encontros bilaterais e para a fundação de uma nova organização latino-americana, intitulada Prosul. Na opinião do CEO da VSK Tactical, há uma quebra de paradigma no aspecto político e, na sua opinião, pode ter impacto no processo acerca do navio quebra-gelo, que dará suporte aos projetos e às pesquisas do Programa Antártico Brasileiro (Proantar).

    Por intermédio da Diretoria de Gestão de Programas da Marinha (DGePM), a Marinha do Brasil deu início ao processo de obtenção do NApAnt em 22 de fevereiro. Entre os dias 25 do mesmo mês e 13 de março, quatro grupos interessados do projeto aceitaram participar do RFI (Request For Information, ou Solicitação de Informações em português), e terão até o dia 13 de maio para responder todo o questionário solicitado pelo edital.

    "A aquisição do NApAnt, em substituição do NApOc [Navio de Apoio Oceanográfico] Ary Rongel, possibilitará a continuidade e o incremento das atividades de apoio logístico realizadas pela Marinha do Brasil na Antártica, proporcionando um meio moderno, de maior capacidade e de elevada confiabilidade para a consecução dos objetivos do Brasil no Continente Antártico", divulgou a Força Naval brasileira em comunicado.

    À Sputnik Brasil, Bocaiúva teceu uma série de elogios ao estaleiro Astilleros y Maestranzas de la Armada (Asmar), administrado pela Marinha do Chile, destacando a identificação entre as duas Armadas sul-americanas e revelando que, recentemente, a mesma companhia construiu um navio semelhante ao do projeto do NApAnt.

    "É uma empresa ligada à Marinha chilena, que está hoje mais avançada do que a nossa, vide a questão dos submarinos. O fato de não ser uma companhia meramente privada, que tem experiência e projetos para apresentar, pode fazer a diferença", explicou o CEO da VSK Tactical. O que ainda não está definido é qual estaleiro no Brasil irá participar dessa proposta, algo que a companhia dos EUA pretende definir até o fim desta semana.

    De acordo com a Marinha do Brasil, o novo quebra-gelo brasileiro "visa a obtenção por construção de um navio, incluída a aquisição dos equipamentos e sistemas científicos, dos planos de gestão do ciclo de vida, do apoio logístico integrado e da manutenção para apoiar logisticamente o Proantar e contribuir para a segurança da navegação na região antártica, por meio da realização de levantamentos hidrográficos".

    A expectativa é de que até julho deste ano a Marinha do Brasil escolha um dos quatro projetos.

    Construído em 1981 na Noruega, o NApOc Ary Rongel foi incorporado à Armada brasileira em 1994 e é, ao lado do Navio Polar (NPo) Almirante Maximiano, a principal embarcação de apoio à Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), destruída por um incêndio em 2012. O novo quebra-gelo brasileiro, quando concluído, deverá auxiliar nos trabalhos do posto, que está sendo reconstruído pela Corporação Chinesa de Importações e Exportações Eletrônicas (CEIEC) e deverá estar concluído no primeiro semestre de 2020.

    Tema:
    LAAD 2019 no Rio de Janeiro (10)

    Mais:

    LAAD 2019: 'Faixa de Gaza' expõe desejo gringo por mercado de armas no Brasil (EXCLUSIVO)
    'Gigantes' roubam a cena no primeiro dia da LAAD 2019 no Rio (FOTOS)
    Gripen E: novo caça brasileiro passa por testes e fará 1º voo na Suécia em 2019
    'Não há monopólio': Taurus rebate filho de Bolsonaro e desafia gringas a entrarem no país
    Tags:
    navio, pesquisa científica, segurança, defesa, Estação Antártica Comandante Ferraz (EACF), NApOc Ary Rongel, Programa Antártico Brasileiro (Proantar), quebra-gelo, Navio de Apoio Antártico (NApAnt), LAAD 2019, Astilleros y Maestranzas de la Armada (Asmar), VSK Tactical, Marinha do Brasil, Vinicius Bocaiúva, Sebastián Piñera, Jair Bolsonaro, Riocentro, Rio de Janeiro, Antártica, Chile, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar