17:03 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Caça norte-americano F-22 Raptor

    Caças F-22 são capazes de enganar sistemas S-300 na Síria?

    CC BY 2.0 / Airman Magazine / F-22 Raptor 003
    Defesa
    URL curta
    26478

    Generais da ativa e da reserva dos EUA e das Forças de Defesa de Israel (IDF, na sigla em inglês) manifestaram preocupação com a entrega dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300 à Síria, e estão agora ameaçando retaliar Moscou e Damasco.

    Segundo a edição do The Drive, os EUA planejam usar seus caças F-22 Raptor de quinta geração na Síria, que, de acordo com militares americanos, são invulneráveis aos mísseis S-300.

    O professor da Academia de Ciências Militares Sergei Sudakov acredita que os caças F-22 desempenham um ótimo papel de "olheiro", pois foram criados para suprimir e destruir defesas aéreas de alta tecnologia. No entanto, isso não significa que eles sejam completamente seguros.

    "Um ou mais F-22 passam despercebidos aos radares inimigos, ligam seus próprios sistemas de supressão radioeletrônica e começam a interferir nos meios de detecção e orientação do inimigo. Paralelamente atacam os radares e as baterias antiaéreas", disse o professor à Sputnik.

    No entanto, o especialista ressaltou que, mesmo que os sistemas de defesa aérea terrestres não vejam o F-22, o caça se dará a conhecer no momento em que ativar o seu sistema de supressão radioeletrônica. De acordo com Sudakov, os meios de controles terrestres são capazes de localizar a fonte de radiação, o que significa determinar a localização da aeronave e enviar um míssil antiaéreo rapidamente.

    Os especialistas acreditam que aeronaves absolutamente invisíveis não existem, e que a única coisa que o piloto do Raptor pode fazer com total segurança é determinar aproximadamente a zona de ação dos sistemas de defesa aérea, que podem mudar rapidamente de posição.

    Segundo o especialista militar Mikhail Khodaryonok disse à Sputnik, "a baixa visibilidade do radar do F-22 é um fato. Mas dizer que este avião é invisível aos radares dos S-300 é um grande exagero. No diapasão de centímetros, ele realmente passa despercebido, mas isso não exclui a possibilidade de abrir fogo contra ele. E no diapasão de metros, por exemplo, o Raptor pode ser visto perfeitamente […] Agora há uma guerra de palavras e declarações. Eu estou absolutamente certo de que nem os israelenses, nem os americanos, atingirão os S-300, enquanto os especialistas russos estiverem de plantão operando estes sistemas", declarou o especialista militar.

    Khodaryonok enfatiza que a falta de experiência dos sírios pode afetar negativamente as capacidades de combate do sistema russo e, desse modo, alimentar a mídia ocidental para promover mitos sobre sua baixa eficácia. Isso pode afetar seriamente a reputação da Rússia como exportadora de armas.

    F-22 Raptor da Força Aérea dos EUA
    © REUTERS / Master Sgt. Kevin J. Gruenwald
    Os americanos testam constantemente as forças de defesa aérea da Síria, para sondar a cobertura dos radares e verificar se eles representam uma ameaça às aeronaves modernas feitas no Ocidente, relata a edição.

    "Essa guerra de palavras, ameaças e terríveis insinuações é uma fachada comum por trás da qual Washington deseja declarar sua superioridade sobre a Rússia nas vésperas das eleições de 6 de novembro", disse Sudakov.

    De certa forma, o Pentágono pensará dez vezes antes de lançar seus melhores aviões na direção dos sistemas de mísseis antiaéreos S-300. Pois manter a reputação de sua aeronave, em uma guerra real, é uma faca de dois gumes. Basta perder um único F-22 e a imagem militar-industrial dos EUA sofrerá danos enormes, que poderiam influenciar até mesmo os resultados eleitorais.

    Mais:

    Rússia envia forte sinal para EUA e OTAN ao implantar S-300 na Síria, acredita politólogo
    Israel diz que S-300 não representam ameaça para F-35, os 'melhores caças furtivos'
    Mídia: EUA podem passar a usar caças F-22 em resposta à entrega dos S-300 à Síria
    Analista norte-americano põe em dúvida capacidade de combate do caça F-22
    Tags:
    aviões de combate, reputação, míssil, caças de quinta geração, defesa aérea, S-300, Pentágono, Forças de Defesa de Israel (FDI), Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik