09:46 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Сhefe do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, observa os lancamentos de teste do míssil de cruzeiro da produção ucraniana

    Analista militar ucraniano anuncia criação de míssil capaz de 'alcançar Moscou'

    © Foto: Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia/Volodymyr Strumkovsky
    Defesa
    URL curta
    17519

    A Ucrânia já tem capacidade de desenvolver um míssil com alcance de 1,5 mil quilômetros capaz de "alcançar Moscou", declarou o especialista militar ucraniano Valentin Badrak em entrevista ao UkrLife.

    Segundo Badrak, o conflito com a Rússia causou um "crescimento exponencial" na área das tecnologias militares ucranianas. Ele enfatizou que hoje os engenheiros são capazes de produzir muito mais do que as forças armadas podem adotar em serviço. 

    Segundo ele, a nova arma prevê "mudar a retórica das negociações" uma vez que a Ucrânia, armada com "cem ou duzentos destes mísseis" poderá "ditar as suas condições" e "defender a sua posição na área da integração euro-atlântica".

    Anteriormente, o tenente-general ucraniano Igor Romanenko disse que a Ucrânia deveria trabalhar na melhoria dos mísseis Garpun e Grom-2 para estes terem um alcance de vários milhares de quilômetros e poderem alcançar a "parte europeia" da Rússia.

    O apelo do general ucraniano foi comentado na Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo): o deputado Igor Belik disse que o militar ucraniano não levou em consideração o desenvolvimento dos sistemas de defesa antiaérea.

    Em agosto, o chefe do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, comunicou sobre o teste bem-sucedido de um míssil de cruzeiro, mas sem especificar o tipo de míssil.

    Mais:

    Ucrânia estava pronta para combater russos no estreito de Kerch, diz oficial
    Ucrânia suspeita que Rússia esteja posicionando armas nucleares na Crimeia
    Por que EUA consideram incompetentes militares das Forças Armadas da Ucrânia?
    Tags:
    condições, míssil, Duma de Estado, Moscou, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik