09:33 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    O porta-aviões norte-americano USS Carl Vinson chega para um exercício militar conjunto anual chamado Foal Eagle entre a Coreia do Sul e os EUA, no porto de Busan, Coreia do Sul, 15 de março de 2017.

    Trump pode reiniciar exercícios militares com Seul e Tóquio 'de forma imediata'

    © REUTERS / Yonhap
    Defesa
    URL curta
    323

    Os EUA podem reiniciar os exercícios militares na Coreia do Sul se o presidente norte-americano assim o decidir, diz um comunicado da Casa Branca.

    Na quarta-feira (29), a Casa Branca explicou a decisão de suspender as manobras militares com a Coreia do Sul, afirmando através de uma declaração que o presidente dos EUA, Donald Trump, tem "relações muito boas e calorosas" com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, e "não há razão" para gastar dinheiro em exercícios com Seul.

    "O presidente acredita que suas relações com Kim Jong-un são muito boas e calorosas e no momento não há razão para gastar uma grande quantidade de dinheiro nos jogos conjuntos de guerra dos EUA e da Coreia do Sul", sublinha o comunicado da Casa Branca.

    No entanto, a mesma mensagem afirma que o presidente dos EUA pode iniciar imediatamente novos exercícios militares conjuntos em grande escala com a Coreia do Sul e o Japão, se vier a tomar tal decisão.

    "O presidente pode reiniciar os exercícios de forma imediata com a Coreia do Sul e o Japão se assim o decidir. Se o fizer, eles serão muito maiores do que os anteriores", diz o comunicado.

    A declaração vem horas depois de o secretário de Defesa dos EUA, James Mattis, ter dito que no momento Washington não tem planos de suspender outros exercícios militares com Seul.

    Em 12 de junho, o presidente dos Estados Unidos anunciou após sua reunião em Singapura com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, que iria parar "os jogos de guerra", referindo-se aos exercícios militares conjuntos com Seul a fim de normalizar as relações entre Washington e Pyongyang.

    Nos últimos anos, a Coreia do Norte condenou as manobras militares conjuntas dos Estados Unidos e da Coreia do Sul, descrevendo-as "provocativas".

    Mais:

    EUA são 'irresponsáveis': China não dificulta desnuclearização da Coreia do Norte
    Análise: Trump aposta na vulnerabilidade da Coreia do Norte ao atrasar negociações de paz
    China tem esperança de que Coreia do Norte e EUA mantenham diálogo
    Tags:
    exercícios conjuntos, suspensão, relações bilaterais, Casa Branca, Donald Trump, Coreia do Sul, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik