19:52 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Bombardeiro estratégico B-52 da Força Aérea dos EUA

    Como EUA pretendem resistir à defesa antiaérea russa?

    © AP Photo/ Mindaugas Kulbis
    Defesa
    URL curta
    2310
    Nos siga no

    Os EUA procuram elaborar novo míssil de cruzeiro de longo alcance para equipar seus novos bombardeiros estratégicos furtivos B-21 Raider, escreve a revista National Interest (NI), citando a nova doutrina nuclear norte-americana.

    A edição nota que novos bombardeiros estratégicos são incapazes de superar com facilidade os sistemas de defesa antiaérea da Rússia e da China, mesmo contando com avançadas tecnologias stealth. Para resolver o problema, militares norte-americanos planejam criar novo míssil capaz de atingir zonas de defesa antiaérea de um possível inimigo.

    Além do mais, especialistas acreditam na possibilidade de o novo míssil de cruzeiro aumentar efetividade dos bombardeiros norte-americanos B-52 e B-2, que com o passar do tempo vão perdendo capacidade de resistir a sistemas antiaéreos dos principais líderes mundiais. Sendo assim, a elaboração do B-21 Raider, segundo NI, parece justificável.

    Espera-se que o B-21 Raider entre em serviço do exército norte-americano em meados de 2020. E, conforme analistas, quaisquer interrupções de fornecimento deste equipamento militar causarão redução do potencial das forças estratégicas dos EUA, tornando-as indefesas aos sistemas de defesa antiaérea dos adversários.

    Mais:

    Escudo soviético: armas russas que OTAN não pode descartar
    EUA perdem para a Rússia em potencial militar, segundo este analista norte-americano
    União entre S-400 e Pantsir-S1 russos paralisará como ninguém aviões da OTAN
    Tags:
    míssil de cruzeiro, bombardeiro estratégico, defesa antiaérea, B-2 Spirit, B-52, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar