19:59 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 60
    Nos siga no

    Entender de onde esses componentes vêm e em que proporção são formados é essencial para entender a evolução de nossa galáxia.

    Em um estudo publicado por cientistas da Universidade de Nagoya, no Japão, foi possível quantificar, pela primeira vez, os componentes de prótons e elétrons de raios cósmicos em um remanescente de supernova.

    O estudo ajudou a resolver um antigo mistério sobre onde os prótons (principais componentes dos raios cósmicos) aceleram, e representou um passo importante para determinar precisamente de onde vêm os raios.

    Segundo os cientistas, acredita-se que os raios cósmicos sejam acelerados pelas consequências das explosões de supernovas e viajem para a Terra quase na velocidade da luz. 

    Análises recentes de imagens de radiação de rádio, raio X e raios gama revelaram que pelo menos 70% dos raios gama de altíssima energia emitidos pelos raios cósmicos são devidos a prótons relativísticos.

    Ilustração artística da erupção de raios gama GRB 080319B
    Ilustração artística da erupção de raios gama GRB 080319B

    Portanto, se os raios gama são produzidos por prótons, o principal componente dos raios cósmicos, a origem dos raios cósmicos pode ser verificada nos remanescentes de supernovas.

    No entanto, os raios gama também são produzidos por elétrons, por isso é necessário determinar se a origem dos prótons ou elétrons é dominante e medir a proporção de ambos.

    Os resultados da pesquisa japonesa fornecem evidências convincentes de que os raios gama se originam do componente de prótons, que é o principal componente dos raios cósmicos, e esclarecem que os raios cósmicos galácticos são produzidos por remanescentes de supernovas.

    Tags:
    Universo, espaço, astronomia, supernova, elétrons, prótons
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar