12:47 05 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    110
    Nos siga no

    Astrônomos identificaram uma nova fonte de raios gama de alta energia, que recebeu a designação LHAASO J2108 + 5157. De acordo com o estudo, o raio gama está associado a uma nuvem molecular a mais de 10 mil anos-luz de distância da Terra.

    Usando o Grande Observatório de Chuveiros Aéreos de Alta Altitude (LHAASO, na sigla em inglês), localizado na China, os astrônomos realizaram uma pesquisa por novas fontes de raios gama de alta energia. Como resultado, eles identificaram uma nova fonte de raios gama de ultra-alta energia, que recebeu a designação LHAASO J2108 + 5157. A descoberta foi relatada em um artigo publicado no repositório de pré-impressão arXiv.

    Fontes que emitem radiação gama com energias de fótons entre 100 GeV e 100 TeV são chamadas de fontes de raios gama de energia muito alta (VHE), enquanto aquelas com energias de fótons acima de 0,1 PeV são conhecidas como fontes de raios gama de energia ultra-alta (UHE). A natureza dessas fontes ainda não é bem compreendida; portanto, os astrônomos estão constantemente em busca de novos objetos desse tipo para caracterizá-los, o que poderia lançar mais luz sobre suas propriedades em geral.

    Esquerda: mapa de significância em torno de LHAASO J2108 + 5157 conforme observado por KM2A para energias reconstruídas de 25 TeV a 100 TeV. À direita: mapa de significância para energias acima de 100 TeV. A cruz vermelha indica a posição de melhor ajuste. O círculo branco no canto inferior direito mostra o tamanho do PSF (contendo 68% dos eventos)
    © Foto / Cao et al.
    Esquerda: mapa de significância em torno de LHAASO J2108 + 5157 conforme observado por KM2A para energias reconstruídas de 25 TeV a 100 TeV. À direita: mapa de significância para energias acima de 100 TeV. A cruz vermelha indica a posição de melhor ajuste. O círculo branco no canto inferior direito mostra o tamanho do PSF (contendo 68% dos eventos)

    Uma equipe de astrônomos liderados por Zhen Cao da Academia Chinesa de Ciências (CAS) conduziu recentemente essa pesquisa com duração de quase um ano, usando os dados do LHAASO - uma nova matriz complexa projetada para estudos de raios cósmicos e gama, localizada na província de Sichuan, na China. A campanha de observação rendeu resultados promissores.

    De acordo com o estudo, o novo raio gama está associado a uma nuvem molecular conhecida como [MML2017] 4607. A nuvem está localizada a cerca de 10.700 anos-luz de distância da Terra.

    Tentando explicar a emissão de raios gama UHE detectada na descoberta, os autores do artigo oferecem poucas explicações. Eles observaram que a emissão de UHE poderia ser produzida por prótons acelerados até PeV colidindo com o gás denso do ambiente. Devido à coincidência entre LHAASO J2108 + 5157 e a nuvem molecular [MML2017] 4607, eles assumem que a origem hadrônica é o cenário mais plausível.

    Mais:

    Observatório na China encontra 'universo de energia ultra-alta' na Via Láctea
    Cientistas descobrem fontes de raios gama de origem desconhecida dentro da Via Láctea
    Cientistas revelam detalhes de explosão de raios gama que ocorreu a 1 bilhão de anos-luz (VÍDEO)
    Tags:
    raios, Gama, energia, astronomia, China, Observatório
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar