10:40 25 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 31
    Nos siga no

    Foi encontrada em um espécime de golfinho-de-fraser do arquipélago dos EUA no oceano Pacífico "uma linhagem nova e altamente divergente de morbillivírus", que poderia afetar 20 outras espécies marinhas locais.

    Pesquisadores descobriram em um golfinho no Havaí, EUA, a existência de uma cepa de morbillivírus, levando ao espectro de um surto no arquipélago, escreveu no domingo (8) em comunicado a Universidade do Havaí.

    Os biólogos detectaram a doença após diagnosticarem recentemente um espécime de golfinho-de-fraser morto que encalhou em 17 de janeiro de 2018 na ilha de Maui, disseram.

    "O encalhamento em 2018 do golfinho-de-fraser revelou que temos uma linhagem nova e muito divergente de morbillivírus aqui nas águas havaianas que desconhecíamos", relatou Kristi West, pesquisadora associada do Instituto de Biologia Marinha da universidade.

    "Morbillivírus é uma doença infecciosa que tem sido responsável pela morte em massa de golfinhos e baleias em todo o mundo. Está relacionada ao sarampo e à varíola humanos", acrescentou.

    Os biólogos não sabiam a causa da morte do golfinho, pois seu corpo estava em boas condições, mas seus órgãos e células apresentavam sinais de infecção.

    "Os pulmões tinham uma superfície manchada, com áreas de consolidação (1-2 cm de diâmetro)", indicam as conclusões do estudo, publicado na revista Nature Scientific Reports.

    "As áreas de consolidação revelaram tecido firme vermelho escuro a bronzeado ao redor dos pequenos brônquios em seção transversal. O gânglio linfático marginal do pulmão esquerdo estava aumentado e tinha uma superfície irregular. A traqueia e os brônquios principais continham pequenas quantidades de espuma com coloração vermelha", disseram os cientistas, apontando o morbillivírus como a causa.

    Devido à sociabilidade da espécie, inclusive com baleias, a infecção poderia ser uma forte ameaça a 20 outras espécies de animais marinhos habitando no Havaí, referem os cientistas.

    "Um exemplo são nossas falsas-orcas insulares em perigo de extinção, das quais apenas 167 indivíduos são estimados como remanescentes. Se o morbillivírus se espalhasse por essa população, ele não só representaria um grande obstáculo à recuperação da população, mas também poderia ser uma ameaça de extinção", concluiu West.

    Mais:

    Vírus de 15 mil anos é descoberto nas geleiras do Tibete
    Cientistas identificam vírus aparentados com SARS-CoV-2 em biomaterial de morcegos
    Enterro de milhões de visons sacrificados pode ter contaminado água na Dinamarca
    Tags:
    Havaí, EUA, Pacífico, oceano Pacífico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar