01:47 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    O objeto usado para lacrar cartas e autenticar documentos provavelmente pertenceu a alguém da alta sociedade entre os séculos XIII e XIV e tinha uma joia dentro até então desconhecida.

    O selo do século XIII ou XIV contendo um entalhe foi encontrado gravemente queimado em Gayton, Norfolk, no Reino Unido, no ano passado, mas só agora foi revelado ao público. Estudiosos acreditam que o aristocrata medieval que marcava documentos e cartas com a matriz de selo feita em prata não deveria saber que havia uma joia romana entalhada, de acordo com a especialista Helen Geake.

    O entalhe é agora um cinza opaco, mas era "quase certamente cornalina", uma pedra preciosa marrom-avermelhada. Ele retrata uma figura alada, que se acredita ser o deus Marte segurando uma lança, com Vitória à sua direita, segundo relatório sobre a descoberta.

    O selo, encontrado em Norfolk, no Reino Unido, continha uma pedra preciosa, provavelmente cornalina, esculpida com um elefante
    O selo, encontrado em Norfolk, no Reino Unido, continha uma pedra preciosa, provavelmente cornalina, esculpida com um elefante
    "Eu acho que eles [os medievais] provavelmente tenham pensado que era do Mediterrâneo e das Cruzadas e não romanos, como na Grã-Bretanha romana", acrescentou a estudiosa Geake.

    A matriz do selo de prata que o envolve seria plana, mas devido aos danos do calor após ter sido queimada, agora tem um reverso irregular arredondado com um orifício, revelando a parte de trás do talhe. Partes das bordas estão faltando, tornando a inscrição difícil de decifrar.

    A matriz do selo prateado - com uma impressão na extrema direita - teria sido usada para autenticar documentos
    A matriz do selo prateado - com uma impressão na extrema direita - teria sido usada para autenticar documentos
    "Eles foram usados principalmente como uma forma de assinar um documento, de autenticá-lo, provavelmente em uma época em que você tinha alguém para escrever por você", explica Geake, que confirma que o tipo de calibre do selo indica que o dono deveria ser um aristocrata de posição muito elevada.

    "Ainda é um mistério quem poderia ter sido, mas estes pertenciam a pessoas realmente importantes – barões, bispos, o 1% do topo", relata.

    Mais de 50 matrizes de selos foram encontradas em todo o país, 30 delas de prata, sendo esta a quarta encontrada em Norfolk. A descoberta de Gayton, medindo 29 milímetros por 18,5 milímetros, é a única encontrada queimada até hoje. Os cientistas ainda não sabem dizer em que circunstâncias o selo foi queimado.

    Seu status como tesouro está sujeito a um inquérito que será realizado por legista, se confirmado, o objeto deverá ser comprado pelo Museu do Castelo de Norwich, na Inglaterra.

    Mais:

    FOTOS de antes e depois exibem cataratas de Vitória, uma joia da natureza prestes a desaparecer
    Tumba de 'princesa' da Idade do Ferro coberta de joias é desenterrada na França (FOTOS)
    Peça de argila que selou acordo para rei bíblico é encontrada em Israel (FOTO)
    Tags:
    joias, prata, mistério, Norfolk, Reino Unido, carta, selo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar