05:48 12 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 50
    Nos siga no

    Cientistas identificaram um tubarão descoberto ainda em 2013. Os dentes do tubarão de 300 milhões de anos foram o primeiro sinal de que o animal poderia ser de uma nova espécie.

    Os dentes antigos se pareciam menos às fileiras de dentes em forma de lança das espécies relacionadas. Estes dentes são mais curtos, tendo menos de dois centímetros de comprimento, de acordo com agência AP.

    "É ótimo para agarrar e esmagar a presa em vez de furar a presa", disse o pesquisador John-Paul Hodnett, que era estudante de pós-graduação quando desenterrou os primeiros fósseis do tubarão em escavações a leste de Albuquerque no estado do Novo México, EUA, em 2013.

    Os cientistas publicaram suas descobertas no boletim do Museu de História Natural e Ciência do Novo México, identificando o animal como uma espécie independente.

    Os pesquisadores chamaram o tubarão de dois metros de Dracopristis hoffmanorum, ou tubarão-dragão de Hoffman, em honra da família do Novo México que possui a terra nas montanhas Manzano onde os fósseis foram encontrados.

    Hodnett disse que a área está cheia de fósseis e é fácil acessá-los, devido a uma pedreira e outras operações de escavação comercial. O anúncio formal de denominação foi realizado após sete anos de escavação, preservação e estudo.

    Além disso, o nome faz referência ao queixo semelhante ao de um dragão e às espinhas de 75 centímetros da barbatana, que inspiraram o apelido inicial da descoberta: "tubarão Godzilla".

    Dente do maxilar inferior de uma espécie de tubarão de 300 milhões de anos, nomeada de Dracopristis hoffmanorum, ou tubarão-dragão de Hoffman
    © AP Photo / John-Paul Hodnett
    Dente do maxilar inferior de uma espécie de tubarão de 300 milhões de anos, nomeada de Dracopristis hoffmanorum, ou tubarão-dragão de Hoffman

    As 12 fileiras de dentes no maxilar inferior do tubarão ainda estavam ocultas por camadas de sedimentos após a escavação. Hodnett só os viu usando uma técnica de luz angular que ilumina os objetos por baixo.

    O esqueleto do tubarão descoberto é considerado o mais completo de seu ramo evolutivo, Ctenacanthus, que se separou dos tubarões modernos e raias há cerca de 390 milhões de anos e se extinguiu cerca de 60 milhões de anos depois.

    Naquela época, o leste do Novo México estava coberto por um braço de mar que se estendia bem para dentro da América do Norte. Os cientistas sugerem que o tubarão-dragão de Hoffman provavelmente viveu nas águas ao longo da costa, se alimentando de crustáceos, peixes e outros tubarões.

    Mais:

    Chile identifica nova espécie de dinossauro que viveu no Atacama há milhões de anos (FOTOS)
    Escavação revela rua romana de 2 mil anos na Turquia (FOTO)
    Cientistas acreditam ter descoberto 'adorável' antepassado dos morcegos (FOTOS)
    Construção de mansão romana desenterrada no Reino Unido pode ser inédita no mundo (FOTOS)
    Tags:
    cientistas, espécies, animal, dente, tubarão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar