12:48 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 130
    Nos siga no

    Arqueólogos espanhóis descobriram restos de nove mulheres jovens com ricas joias na atual cidade espanhola de Mérida, concluindo que só poderiam pertencer à nobreza.

    Uma equipe de arqueólogos e antropólogos na Espanha encontrou restos humanos em um sepultamento de nove jovens mulheres do século V com ricas joias de ouro e prata, relata o jornal 20 minutos.

    Na opinião de Francisco Javier Heras Mora, um dos pesquisadores envolvidos na descoberta, no centro da cidade de Mérida, as mulheres pertenciam a uma "aristocracia estrangeira", e vieram do exterior, pois "não é qualquer cidadão vindo da parte oriental da Europa" que carrega joias de ouro no período das grandes migrações, ou invasões bárbaras, entre os séculos III e VII, que teriam causado a queda do Império Romano.

    Heras explica que as joias encontradas no conjunto de túmulos em uma área de 5.000 m2 não correspondem à tipologia da ourivesaria do mundo romano, mas sim à de outros locais encontrados na região do mar Negro ou no baixo Danúbio.

    Até agora, sepulturas semelhantes com peças de joalharia só foram encontradas na França, Alemanha e Áustria, onde passaram os povos germânicos a caminho da península ibérica e Norte de África, mas isso não significa que "podemos dizer que as mulheres são suevas, alanas ou vândalas", constata Heras à mídia, pois "em arqueologia tudo são formulações teóricas até que seja comprovado".

    "A imaginação pode correr solta", comenta, embora reconheça que elas se vestiam à moda dos povos bárbaros e não seguiam os cânones das vestimentas romanas.

    O arqueólogo teoriza que as princesas poderiam pertencer à corte que acompanhou o rei suevo Requila, que tomou a cidade de Mérida no ano 439 e ali se estabeleceu até 448, algo que terá de ser comprovado com estudos de DNA.

    Agora o pesquisador quer prosseguir o trabalho para criar uma árvore genealógica, que ajude a saber mais sobre estas mulheres e os povos a que pertenciam.

    Mais:

    Acampamentos inexplorados do Império Romano lançam luz sobre conquista da península ibérica (FOTOS)
    Descoberta sepultura familiar incomum de mais de 5 mil anos nos Pirenéus (FOTOS)
    Espanhol recebe recompensa por achar 'tesouro' renascentista atrás das paredes de casa
    Tesouro milenar é encontrado na Espanha com suposto saqueador (FOTO)
    Tags:
    Império Romano, Áustria, Alemanha, Mérida, Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar