23:22 16 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 60
    Nos siga no

    Cientistas da Universidade de Wisconsin-Madison, EUA, examinaram durante anos as formigas da espécie Acromyrmex echinatior, descobrindo que têm uma camada protetora invulgar.

    Certas formigas-cortadeiras cultivaram uma "armadura" corporal ao longo do tempo para adquirir proteção contra ataques físicos e patógenos, revelaram pesquisadores da Universidade de Wisconsin-Madison, EUA, ao portal Science Alert.

    Os cientistas analisaram "durante muitos anos" os corpos de espécimes das colônias de Acromyrmex echinatior e acabaram por concluir que o "revestimento granular esbranquiçado" encontrado nessa espécie de formigas é uma forma de proteção natural, que endurece significativamente o exoesqueleto.

    "Nosso esforço era identificar o que a formiga poderia produzir para a bactéria que [o primeiro autor Li] Hongjie descobriu nos cristais biominerais na superfície da formiga", contou Cameron Currie, autor sênior e microbiologista da Universidade de Wisconsin-Madison, sobre o estudo publicado na revista Nature Communications.

    A equipe usou microscopia eletrônica, difração de retrodifração de elétrons e outras técnicas para avaliar a proteção biomineral, que descobriram ser uma fina camada de cristais de calcita de magnésio hexagonais com cerca de três-cinco micrômetros de tamanho, ou 0,003 a 0,005 milímetros. Os insetos evoluíram de crustáceos, razão pela qual esta é uma espécie que conservou essa característica.

    Em cima: a armadura brilhante. Em baixo: imagem do revestimento feita com microscópio eletrônico de varredura
    Formiga com armadura biomineral protetora

    Para confirmar que o "escudo" dos insetos protege contra ataques, os cientistas iniciaram experiências adicionais.

    "Para testar ainda mais o papel do biomineral como armadura protetora, expusemos trabalhadores principais Acromyrmex echinatior com e sem armadura biomineral contra soldados Atta cefalotes em experimentos de agressão de formigas concebidos para imitar as 'guerras das formigas' territoriais que são uma ocorrência relativamente comum na natureza", escrevem.

    "Em combate direto com os trabalhadores soldados At. Cephalotes, substancialmente maiores e mais fortes, formigas com cutículas biomineralizadas perderam significativamente menos partes do corpo e tiveram taxas de sobrevivência significativamente mais altas em comparação com formigas sem biominerais."

    Foi descoberto que as formigas sem a proteção também estavam mais expostas ao fungo de insetos Metarhizium anisopliae.

    O revestimento protetor não existe em bebês. Em vez disso, a camada amadurece ao longo do crescimento dos A. echinatior. Os pesquisadores acreditam que não se trata da única espécie de insetos com esse tipo de proteção.

    Mais:

    Cientistas revelam como vermes diabólicos sobreviveram nas profundezas da Terra (FOTO)
    Сriaturas mais resistentes da Terra podem revelar segredo de sobrevivência à radiação, diz estudo
    'Pavor e beleza': cientista descreve nova espécie de artrópode de 500 milhões de anos (FOTO)
    Tags:
    EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar