08:44 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus e o mundo no início de novembro (39)
    0 102
    Nos siga no

    Cientistas do Colégio Imperial de Londres, Reino Unido, calcularam a taxa de letalidade real da COVID-19, considerando eliminação de falhas de pesquisas anteriores.

    Os pesquisadores estudaram 175 artigos científicos e os resultados de dez testes de anticorpos, segundo o relatório publicado. Analisando os dados, levaram em consideração a sororreversão, ou seja, a redução gradual da quantidade de anticorpos, que poderia mostrar uma realidade superior na proporção de mortes e pessoas infectadas.

    Nos países de rendimento elevado, a taxa de letalidade é de 1,15%, já nos países pobres é de 0,23%, de acordo com o relatório.

    A taxa de letalidade, geralmente confundida com a taxa de mortalidade, é o número de mortos entre o número de casos confirmados. A taxa de mortalidade é o número de mortes de toda a população por unidade de tempo.

    A taxa de letalidade mais alta nos países de rendimento elevado é ligada ao número maior de idosos: o risco de mortalidade por coronavírus dobra com o aumento de idade a cada oito anos.

    Para os pacientes de menos de 40 anos, a taxa de letalidade atinge cerca de 0,1%. Quanto aos idosos, a taxa de letalidade atinge 5% e mais.

    No mundo, há 46.544.769 de casos confirmados da COVID-19, mais de um milhão de mortes e 31.094.347 pacientes recuperados do coronavírus. Os países com o maior número de mortos são EUA (230 mil), Brasil (160 mil), Índia (122 mil), México (91 mil) e Reino Unido (46 mil).

    Tema:
    Coronavírus e o mundo no início de novembro (39)

    Mais:

    Estes 5 sintomas preveem se terá COVID-19 longa, segundo estudo
    Rara síndrome inflamatória que afeta somente homens é descoberta por pesquisadores
    'Minipulmões' feitos em laboratório revelam fases iniciais da infecção da COVID-19 (FOTOS)
    COVID-19 poderia diminuir QI e envelhecer cérebro em até 10 anos de pacientes recuperados
    Poderemos chegar ao estado de 'COVID-19 zero'? Imunologista dá seu parecer
    Tags:
    cientistas, novo coronavírus, pandemia, COVID-19, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar