04:51 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    Misterioso túmulo com homem cercado por cinco crânios encontrado na Escócia tem seus segredos revelados. O achado é proveniente da era medieval no país.

    Uma nova análise de DNA sugere que os ossos e crânios pertencem a membros da mesma família do homem. O túmulo foi descoberto em 1997, próximo ao altar de uma antiga igreja paroquial na região de Easter Ross.

    As últimas pesquisas revelaram que dois homens foram enterrados entre os séculos XIII e XV, e possivelmente a ossada era de seus primos ou tio e sobrinho, e que três dos quatro crânios pertenciam a mesma família: avô, pai e mãe do segundo homem. Outro parente provavelmente seria o filho do segundo homem.

    O quarto crânio, datado entre os séculos VIII e X, foi originalmente enterrado próximo do cemitério do monastério.

    Quem está deitado na tumba do "chefe de seis cabeças"? DNA revela pistas.

    Com as recentes descobertas, os arqueólogos acreditam que o crânio pertencia ao monge Pictish, foi removido do local de origem e mantido como um prêmio da família.

    "No período medieval, a extração das partes do corpo dos túmulos de seus parentes para colocá-las em túmulos contemporâneos é algo incomum", afirmou a arqueóloga Cecily Spall.

    O "chefe de seis cabeças" pode ter sido um líder local, que teve uma morte violenta e repentina, segundo o portal Live Science.

    O segundo crânio, enterrado no mesmo local, poderia ser de um familiar de outra geração, o que explicaria o motivo dos crânios estarem no mesmo túmulo.

    "Isso nos sugere que ele está saindo dessa maneira para legitimar sua sucessão particular ao assumir a liderança da comunidade. Por algum motivo, eles estiveram em uma situação muito estressante, potencialmente uma guerra ou disputa local", afirmou a arqueóloga.

    A osteologista Shirley Curtis-Summers disse que o estranho estilo funerário foi uma indicação de que a família era importante na região.

    "O fato de eles irem contra o tipo usual de sepultamento da época ao adotar este rito mortuário marcante os separa como um grupo especial dentro de sua comunidade em Portmahomack", conclui.

    Mais:

    Fósseis de crânios indicam intrigantes rituais macabros dos vikings
    Desvendado mistério de crânio de carneiro detectado em máscara funerária de 2.000 anos (FOTOS)
    Crânio de cerca de 4 milhões de anos revela novos detalhes de antepassado do ser humano (FOTOS)
    Tags:
    Escócia, arqueólogos, arqueólogo, arqueologia, descoberta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar