08:45 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 90
    Nos siga no

    Uma equipe de arqueólogos descobriu crânios de cinco mil anos, que teriam sido partidos e esmagados durante um massacre brutal na Polônia.

    A descoberta ocorreu no sul da Polônia e pode ser uma pista sobre as misteriosas circunstâncias em que as famílias foram mortas e enterradas na região.

    A vala encontrada pelos arqueólogos possuía restos de 15 pessoas, incluindo crianças. Testes de DNA apontaram que estas pessoas, associadas à cultura da ânfora globular, eram parentes.

    Restos de pessoas enterrados há 5.000 anos em cidade polonesa
    © Foto / PNAS
    Restos de pessoas enterrados há 5.000 anos em cidade polonesa

    Anteriormente, especialistas acreditavam que a família teria sido morta durante uma cerimônia ou em um ritual de canibalismo, segundo o tabloide Express.

    "Todos eles foram brutalmente mortos com golpes na cabeça e enterrados cuidadosamente [...] Evidentemente, estas pessoas foram enterradas por gente que as conhecia bem [...]", segundo proposta lançada por especialistas em 2019.

    Ao analisar os genomas, os especialistas identificaram que o achado corresponde a parentes próximos que foram enterrados um próximo do outro. Além disso, com base nos ferimentos, os especialistas indicaram que estas pessoas foram capturadas e executadas, descartando a possibilidade de terem morrido em combate.

    Os especialistas também destacaram que as mortes podem ter ocorrido por grupos rivais, já que viviam em uma época violenta na região.

    Mais:

    Estranho círculo de ossos de mamute revela novas pistas sobre vida do homem na Era do Gelo (FOTOS)
    Fóssil de leão com dentes trituradores de ossos é descoberto na Austrália (FOTO)
    Ossos de leões usados para fins 'medicinais' podem provocar nova pandemia, diz mídia
    Tags:
    restos mortais, crânio, Polônia, arqueólogos, arqueólogo, arqueologia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar