17:15 02 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 50
    Nos siga no

    Equipe de arqueólogos australianos descobriu raros exemplares de arte rupestre detalhada e em pequena escala com recurso a estênceis, em um abrigo rochoso do povo aborígene Marra.

    O achado teve lugar em uma caverna que servia de refúgio, denominada Yilbilinji e situada no Parque Nacional de Limmen, perto de Ngukurr, no Território do Norte da Austrália.

    Tradicionalmente propriedade do povo aborígene Marra, o local foi sinalizado pela primeira vez pela equipe de pesquisa em 2017, que logo percebeu importância e caráter único do local, escreveu o jornal australiano The Nord West Star.

    Descoberta rara e quase única

    "É o tamanho [das figuras] que torna este local incomum e altamente distinguível", diz o arqueólogo Liam Brady, citado pelo jornal.

    "Tipicamente, a arte rupestre estampada ao redor do mundo recorre a dimensões completas ou em tamanho real, como partes do corpo humano e animal, objetos [por exemplo, bumerangues] e até mesmo matéria vegetal", prosseguiu Liam Brady.

    "No entanto, muitos dos estênceis em Yilbilinji são tão pequenos ou em miniatura, para terem sido feitos usando partes do corpo da vida real e objetos em tamanho real."

    Estêncil é uma técnica usada para fazer um desenho ou ilustração através da aplicação de tinta sobre um molde perfurado representando a figura que se pretende reproduzir ou circundando a tinta o que se pretende pintar, como uma mão, por exemplo.

    Apenas dois outros exemplos de arte rupestre com recurso a estênceis em miniatura, e ambas figuras humanas, são conhecidas no mundo: uma no riacho Nielson em Nova Gales do Sul, Austrália, e outra na ilha Kisar, na Indonésia.

    A equipe de pesquisa, constituída por arqueólogos e antropólogos, coadjuvada por guardas florestais do povo Marra e por guardas florestais do Parque Nacional de Limmen, registrou um total de 17 imagens desses estênceis em miniatura durante a viagem de campo em 2017.

    ​Arte rupestre inusitada é descoberta em parque no Território do Norte - mas como foram pintadas?

    O representante do povo Marra, Shaun Evans, relatou ao Star que as imagens retratam uma grande variedade de motivos, incluindo figuras humanas, animais (caranguejo, tartarugas-de-pescoço-comprido), patas de canguru, linhas onduladas, bumerangues e formas geométricas.

    Como teriam sido desenhadas?

    Os pesquisadores se propuseram então a descobrir como essas imagens inusitadas foram feitas.

    Uma pista veio do fato de a maioria dos estênceis em miniatura ter sido elaborada com bordas arredondadas e curvas, o que significa que provavelmente foram feitos usando algo que poderia ser facilmente moldado e colado à superfície da rocha.

    Outra pista veio de uma pesquisa antropológica na região. O coautor e antropólogo John Bradley, do Centro Indígena Monash, trabalha com o povo aborígene na área em estudo há mais de 40 anos.

    Ele recorda-se de ver cera de abelha utilizada pelo povo Marra para diversos fins, como adesivo para reparo de lanças e arpões. O antropólogo também viu crianças moldando cera de abelha em forma de animais, gado, cavalos e vaqueiros.

    Usando cera de abelha

    "Usando essas pistas, os pesquisadores decidiram testar se a cera de abelha poderia ter sido usada para fazer os estênceis em miniatura", afirmou Bradley.

    A equipe efetuou experimentos de elaboração de estênceis de figuras humanas, animais, objetos e formas geométricas, com recurso a aquecimento e moldagem de cera de abelha.

    Arte rupestre criada por antigo povo siberiano (imagem de arquivo)
    Arte rupestre criada por antigo povo siberiano (imagem de arquivo)

    "O experimento confirmou que a cera de abelha era um excelente material para fazer estênceis em miniatura", disse Bradley.

    Questões em aberto

    Por sua vez, Daryl Wesley, outro membro da equipe, afirmou que se mantém em aberto o saber "quem fez esses estênceis em miniatura – se adultos ou crianças – e qual o seu significado".

    Seja como for, Wesley destacou que "o importante aqui é que esta descoberta acrescenta outra dimensão à arte rupestre australiana e global".

    Desde que esta descoberta foi feita, três estênceis adicionais foram descobertos na área - uma figura humana, um equidna e uma tartaruga de água doce – o que destaca ainda mais o potencial arqueológico do Parque Nacional de Limmen.

    O estudo será disponibilizado brevemente à comunidade científica pela Universidade de Cambridge (Reino Unido).

    Mais:

    Arqueólogos descobrem no Egito caverna com pinturas rupestres inigualáveis (FOTOS)
    Misteriosa arte rupestre na Austrália pode retratar caos após aumento do nível do mar
    Caverna com pinturas rupestres é descoberta por acidente no Egito (FOTOS)
    Gravuras rupestres que escaparam da destruição do Daesh são descobertas no Iraque (FOTOS)
    Tags:
    Austrália, escavação, arqueólogos, aborígene, pintura rupestre, arte rupestre
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar