00:33 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1100
    Nos siga no

    Em 2018, o cientista Derek Hennen, estava publicando na rede imagens de milípedes, quando uma das fotos atraiu a atenção de uma especialista em Biologia na Dinamarca.

    A portuguesa Ana Sofia Reboleira, do Museu de História Nacional da Universidade de Copenhagen, reparou em uma característica peculiar do artrópode, um milípede, encontrado na América do Norte, que oficialmente é chamado de Cambala annulata.

    Reboleira reparou em diversos pequenos pontos na criatura, o que levou à descoberta de um misterioso tipo de espécie de fungo que ainda não teria sido documento até então, revela a publicação Newsweek.

    A pesquisa, publicada na revista MycoKeys, detalha a existência do que foi definido como uma espécie de Laboulbeniales – um fungo parasita que ataca insetos e milípedes.

    Graças à inusitada forma como foi descoberta, a espécie foi nomeada Troglomyces twitteri.

    ​Estou feliz em ver o primeiro estudo sobre Laboulbeniales na MycoKeys. Sofia Reboleira e outros descrevem uma nova espécie de Troglomyces em um milípede americano – descoberto aqui no Twitter graças a uma foto publicada por Derek Hennen.

    De acordo com a equipe de cientistas envolvida, Laboulbeniales vivem na parte externa de seus hospedeiros, especificamente nos órgãos reprodutivos neste caso. Eles ficam absorvendo nutrientes do hospedeiro por meio de uma "estrutura especial de sucção".

    Os autores do estudo afirmam: "O uso de mídias sociais representa agora uma parte considerável de como os humanos interagem e percebem as notícias de um mundo em mudança."

    Em ressonância a esta afirmação, Reboleira concorda que as mídias sociais tem um grande papel em descobertas científicas.

    Mais:

    Nem madeira nem tijolo: primeiras casas em Marte poderiam ser feitas de fungos
    Nova espécie de cobra é descoberta e suas escamas refletem arco-íris (FOTOS)
    Fungo faz 'cobras mumificadas' surgirem nos EUA (FOTO)
    Tags:
    ciência, descoberta, biologia, Twitter
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar