21:47 04 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    Coronavírus se espalha pelo mundo (101)
    7271
    Nos siga no

    O rápido fim da pandemia do coronavírus pode ser esperado se houver um "milagre biológico", como um clima quente prolongado ou um súbito enfraquecimento do vírus na transição entre pessoas, revelou especialista.

    A explicação foi dada à Sputnik pela doutora em Ciências Biológicas, professora Ancha Baranova, da Escola de Biologia de Sistemas, da Universidade George Mason (EUA).

    "O rápido fim da pandemia é possível se algum milagre acontecer. Por milagre, quero dizer um milagre biológico. Se o vírus enfraquecer ou o tempo estiver ensolarado e quente durante duas semanas. [...] Pode acontecer que os dias fiquem mais quentes e que o ambiente comece a mais rapidamente esterilizar o vírus durante o dia. Como expliquei antes, o vírus 'seca' ao Sol", disse Baranova.

    A especialista especificou que se falarmos dos Estados Unidos, o estado de Louisiana, que tem uma forte epidemia, pode ter uma temperatura de 30 graus em abril por alguns dias.

    Fim da pandemia?

    "No entanto, eu quis dizer por milagre não sobre o tempo quente, mas o fato de que o vírus pode sofrer uma mutação tal que se tornará menos 'maligno' e o número de casos graves diminuirá", acrescentou a professora.

    Segundo a bióloga, há uma segunda opção para o rápido fim da pandemia: se agora o sistema sanitário internacional encontrar uma vacina contra este vírus, a produção de vacinas poderá aumentar e iniciar o tratamento em todo o mundo.

    "Se uma das duas coisas acontecer: será implantado um tratamento rápido ou algum milagre biológico. Se todos os fatores permanecerem iguais, é improvável que em duas semanas todos os estados dos EUA estejam abertos", concluiu.

    Funcionário da saúde usa traje protetor durante campanha de sensibilização para a doença COVID-19, em Jalalabad, Afeganistão, 19 de março de 2020
    © REUTERS / Parwiz
    Funcionário da saúde usa traje protetor durante campanha de sensibilização para a doença COVID-19, em Jalalabad, Afeganistão, 19 de março de 2020

    Anteriormente, o presidente norte-americano Donald Trump disse que os EUA podem cancelar medidas restritivas associadas ao coronavírus daqui a duas semanas.

    De acordo com os últimos dados, os Estados Unidos registram 1.300 mortes pela COVID-19, com quase 86 mil infectados.

    Tema:
    Coronavírus se espalha pelo mundo (101)

    Mais:

    Uma cepa 'muito ruim': cientistas acreditam em vacina única e duradoura para COVID-19
    Vacina russa contra COVID-19 conclui com sucesso 1ª fase de testes
    Especialista avalia possibilidade de reinfecção do coronavírus
    Tags:
    morte, infectados, pandemia, vacina, novo coronavírus, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar