21:02 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    260
    Nos siga no

    Pesquisadores dizem que estão próximos de entender o chamado "problema dos três corpos", formulado por Newton, de como três corpos celestes semelhantes orbitam no espaço de acordo com as leis da física.

    Os pesquisadores disseram que têm uma solução estatística para o problema dos três corpos de Newton, ou seja, o problema de descobrir como três corpos similares se deslocam no espaço de uma forma que se encaixe nas leis do movimento e da gravidade.

    Um estudo recente, publicado na revista Nature, aproximou-se mais da solução, encontrando uma fórmula estatística que se enquadra nesta questão ainda por resolver. O problema dos três corpos, descrito no estudo como "indiscutivelmente a questão em aberto mais antiga da astrofísica", data de séculos atrás e lida com as leis de Newton. As leis do movimento ajudaram os cientistas a compreender as relações entre um corpo com massa e as forças que agem sobre ele, como as forças que agem sobre um planeta em órbita do Sol.

    Apesar de tudo, tentar entender as relações entre um corpo com massa e as forças que agem sobre ele quando aplicadas a três corpos (por exemplo, quando um satélite orbita um planeta, que, por sua vez, está orbitando uma estrela) leva a dificuldades, pois as equações relacionadas à massa e ao movimento não são resolúveis.

    Resposta parcial

    Cientistas da Universidade Hebraica de Jerusalém sugeriram que, em um sistema instável e caótico de três corpos, um deles acaba sendo expulso, deixando para trás dois corpos em uma relação binária estável.

    "Quando comparamos nossas previsões com modelos de seus movimentos reais gerados por computador, encontramos um alto grau de precisão", diz o astrofísico Nicholas Stone, um dos pesquisadores.

    Embora os cientistas tenham encontrado soluções para casos especiais, a fórmula geral para o problema dos três corpos se mostrou difícil de atingir. Uma analogia seria tentar aplicar um modelo matemático ao efeito borboleta, que seria confuso demais para rastrear corretamente. O estudo atual não resolve completamente o problema dos três corpos de Newton. Os pesquisadores disseram que sua representação estatística de um sistema de três corpos instável ajudará os cientistas a visualizar os complicados processos envolvidos nestes sistemas.

    "Veja a situação de três buracos negros que estão orbitando um ao outro", disse Stone. "Suas órbitas se tornarão necessariamente instáveis e, mesmo que um deles seja expulso, continuamos muito interessados na relação entre os buracos negros sobreviventes".

    Mais:

    Mudança no campo magnético da Terra criou novo tipo de aurora boreal, revela cientista da NASA
    NASA detecta entrada de 1° corpo interestelar no Sistema Solar (FOTOS)
    FOTO da NASA revela figura com linhas retas na superfície de Marte
    Tags:
    Espaço, astrofísica
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar