09:50 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Obras da Usina nuclear de Angra 3

    Energia nuclear é 'chamariz de tecnologia', diz Contra-Almirante

    © Foto / Agência Brasil/Divulgação PAC
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    290
    Nos siga no

    Os planos do Governo Federal de investir em energia nuclear são uma grande oportunidade de desenvolvimento tecnológico, avalia o Almirante da Marinha Alan Paes Leme Arthou, diretor na Academia Nacional de Engenharia.

    O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou no início de 2019 que o Brasil pretende construir até 8 usinas nucleares. Albuquerque também é um defensor da retomada das obras na usina de Angra 3, paralisadas desde 2015. 

    As obras em Angra 3 deverão ser definidas por meio de uma licitação e poderão contar com participação da Rosatom (Corporação Nuclear Estatal Russa).

    Em entrevista à Sputnik Brasil, Arthou ressalta que o Brasil deve explorar suas reservas de urânio. 

    "Somos um dos poucos países do mundo que tem uma grande reserva de urânio e é uma loucura não utilizar essa reserva, é jogar dinheiro fora. Energia é dinheiro e todas as indústrias precisam de energia", afirma o contra Contra-Almirante.

    O Brasil é dono da sétima maior reserva mundial de urânio e, avalia Arthou, sua exploração pode ser um "chamariz de tecnologia" e induzir investimentos até mesmo em outras áreas, como agricultura e medicina. 

    Já sobre a participação de grupos estrangeiros, Arthou diz que "toda transferência de tecnologia é benéfica", mas afirma que "o ideal é que fosse realizado de uma maneira que utilizássemos o máximo possível do potencial da nossa indústria, o máximo possível de nacionalização".

    Mais:

    Fim do monopólio do urânio beneficiará 'setor em ebulição' no Brasil, diz especialista
    EUA atualizam bombas nucleares após Irã aumentar produção de urânio enriquecido, diz mídia
    Irã diz que pode enriquecer urânio a 60% e abandonar Tratado TNP
    Irã aumenta 12 vezes produção diária de urânio após saída dos EUA do acordo nuclear
    Tags:
    Rosatom, energia nuclear, Marinha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar