21:43 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Homem em cadeira de rodas (foto referencial)

    Novo método russo fará cadeira de rodas robotizada servir melhor seu usuário

    © Fotolia / Archimede
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    0 10
    Nos siga no

    Cientistas da Universidade Nacional de Pesquisa Nuclear MEPhI criaram um método de decomposição do sistema multicanal de controle, com base na interface cérebro-computador, destinado a ajudar os usuários de cadeiras de rodas robotizadas.

    Os resultados da pesquisa foram publicados na coletânea Biologically Inspired Cognitive Architectures Meeting. 

    Cadeiras de rodas robotizadas com vários canais de controle são muito importantes para as pessoas com graves formas de deficiência física. Às vezes, tais pessoas só podem fazer pequenos gestos com as mãos, pronunciar comandos orais e emitir "pensamentos visuais".

    Diversos canais de controle também possuem suas desvantagens: por exemplo, o tradicional joystick pode não ser suficiente para pessoas com atividade motora reduzida.

    Por isso, são de grande ajuda também o canal vocal, a possibilidade de controle através de gestos e um canal baseado no interface cérebro-computador (ICC, conhecido também pela sigla inglesa BCI). A totalidade destes canais é conhecida como BCI estendida (extended BCI em inglês).

    "Via de regra, todos os canais podem ser usados simultaneamente, mas eles podem reconhecer comandos contraditórios: por exemplo, o canal vocal captou o comando 'virar à direita', mas o canal gestual reconheceu um movimento como o comando de 'virar à esquerda'. Daí surge a necessidade de escolher o comando 'correto' quando surge uma tal situação de conflito", disse um dos autores da pesquisa, o docente do Instituto de Sistemas Cibernéticos Intelectuais (ISCI) da MEPhI Konstantin Kudryavtsev.

    Visando resolver tais conflitos, os cientistas do ISCI da MEPhI elaboraram um método de decomposição do sistema de comando. Este método baseia-se na avaliação estatística da qualidade de cada um dos canais com referência a um coeficiente especial; depois, cada canal terá prioridade sobre certos comandos.

    Em caso de conflito entre informações obtidas por diferentes canais, será escolhida aquela que é processada pelo canal prioritário.

    No momento, os cientistas acreditam que a tarefa de hoje é testar experimentalmente a cadeira de rodas robotizada, aperfeiçoar os métodos de avaliação dos canais e minimizar as situações de conflito entre canais que propõem resultados errados de certos comandos.

    Mais:

    Ameaça à humanidade? Especialistas alertam para plano europeu para dar direitos a robôs
    Chefe da robótica chilena: 'Que sigam desenvolvendo tecnologia militar, mas fora da Terra'
    Tags:
    Rússia, investigação, pesquisa, cadeira de rodas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar