01:25 22 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Um asteroide aproxima-se da Terra (imagem referencial)

    Seremos vítimas do asteroide Apophis? Elon Musk gera pânico e NASA responde

    CC BY 3.0 / Fotolia
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    11414
    Nos siga no

    Um voo rasante do asteroide Apophis, que deverá passar a uma distância mínima da Terra daqui a 10 anos, está dando muito que falar na web. Elon Musk comentou e acabou recebendo resposta da NASA.

    Há poucos dias, Elon Musk publicou um tweet afirmando que o asteroide 99942 Apophis, conhecido também como "Deus do Caos", que passará pela Terra a uma distância de 31 mil quilômetros em abril de 2029, na verdade não representa perigo nenhum para o nosso planeta, mesmo passando mais perto do que muitos satélites.

    ​Belo nome! Eu não me preocuparia com este asteroide em particular, mas uma grande rocha vai colidir com a Terra eventualmente e agora não temos defesa nenhuma.

    O fundador e o presidente-executivo da Tesla e SpaceX aproveitou a situação para suscitar preocupações entre os internautas ao dizer que atualmente não temos meios para prevenir o impacto de asteroides e que, nos próximos 100 anos, um destes impactos acabará acontecendo.

    A NASA não ficou calada ao comentário de Musk e afirmou que "nenhum asteroide conhecido representa risco significativo de colisão com a Terra nos próximos 100 anos". Além disso, Lindley Johnson, responsável pela área de Defesa Planetária da NASA, confirmou a informação da agência espacial.

    Segundo ele, nenhum asteroide de grandes dimensões conhecido tem significativas probabilidades de atingir o nosso planeta neste período de tempo. Contudo, estão sendo desenvolvidos métodos para prevenir uma catástrofe de acontecer.

    Mais:

    Humanidade tem que recear asteroide enorme que se aproxima da Terra?
    Astrônomos da NASA escolhem lugar para pouso no 'asteroide apocalíptico'
    Tags:
    Terra, risco de colisão, asteroide, Elon Musk, NASA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar