21:33 19 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Múmia do Egito (imagem referencial)

    Debaixo das ataduras: tomografia revela segredos de múmia do Egito

    © Sputnik / Ksenia Nikolskaya
    Ciência e tecnologia
    URL curta
    1101
    Nos siga no

    O Museu Arqueológico Nacional da Espanha publicou resultados da tomografia de uma antiga múmia egípcia enviada para ser examinada em 2016.

    Especialistas, que estudaram a múmia de 2.000 anos atrás, sugerem se tratar do sacerdote Nespamedu, o oculista pessoal do faraó Ptolomeu II e possivelmente Ptolomeu III entre os anos 300 e 200 a.C.

    No total, quatro múmias foram levadas do museu para serem analisadas no hospital com os mesmos aparelhos que os médicos usam para diagnosticar pacientes.

    ​Os pesquisadores tiveram apenas 15 horas para examiná-las: os visitantes do museu não deviam reparar a fuga das múmias, nem tampouco os pacientes deviam suspeitar que dividiram hospital com pessoas que morreram uns 2.000 anos atrás.

    Os resultados da tomografia revelados depois de dois anos confirmam as imagens de várias divindades ocultas nas ataduras, sendo a mais notável a representação de Thoth, o deus dos oftalmologistas, fazendo com que pesquisadores pressupusessem que Nespamedu era um oculista também.

    ​"Não há nada casual na iconografia e é evidente que queria registrar as suas crenças e responsabilidades que o levaram ao mais alto nível da sociedade", afirma o comunicado do Museu Arqueológico Nacional.

    O fato de ter sido um médico de faraó fez pensar que uma parte da sua vida decorreu em Alexandria, onde era a corte de Ptolomeu, explicam os pesquisadores.

    Mais:

    Ilha de Páscoa: pesquisadores desvendam enigma de localização dos moais
    Cientistas encontram sinais de rádio vindos de galáxia distante 1,5 bilhão de anos-luz
    Predador alfa de tempos remotos: baleia de 18 metros comia outros cetáceos (FOTOS)
    Cientistas perfuram mais de 1 km de gelo para alcançar misterioso lago antártico
    Tags:
    múmia, museu, arqueologia, estudo, Egito, Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar